Que seja criado o Dia Municipal do Terapeuta

Publicado em Artigos

WilsonASSOCIAÇÃO BAIANA DE MEDICINA NATURAL E PREVENTIVA – ABMNP Registrada no Cartório de Registro Civil das Pessoas Jurídicas sob nº721, livro A-5, fls. 145 Sede Social: Av. Caminho de Areia, 243 – Salvador-Bahia - CEP: 40.440-360 Sub-sede: Rua Rui Barbosa nº 89 – Centro – Senhor do Bonfim-Bahia - CEP 48.970-000 CNPJ nº 12.105.928/0001-10 - Cel. (74) 8102-0013; (74) 8813-6566; (74) 9144-8366 Registrada com base no Projeto de Lei do Senado nº 306, de 1991, que propõe o reconhecimento da profissão do Terapeuta em Medicina Natural.

Sr. Vereador! A Associação Baiana de Medicina Natural e Preventiva Faz a seguinte Sugestão: Venho pela presente sugerir a V.Exa. a elaboração de um Projeto de Lei criando o DIA MUNICIPAL DO TERAPEUTA HOLÍSTICO, para o seu Município, estabelecendo a data de 27 de setembro, que já é reconhecida por esta entidade. A comemoração dessa data vai implicar na realização de palestras, com a participação de profissionais da área, em escolas e em postos de saúde, além de entrevistas informativas nos meios de comunicação, sobre saúde complementar alternativa. Também, haverá atendimentos terapêuticos gratuitos, beneficiando a população carente. Os nomes dos Vereadores que apresentarem e aprovarem este projeto de lei, na Câmara do seu Município, serão lembrados durante as realizações das palestras e entrevistas aos órgãos de comunicação. Segue em anexo o texto do Projeto de Lei que deve ser elaborado pelo Vereador: Agradecemos pelo seu empenho nessa brilhante iniciativa que vai beneficiar a população de baixa renda que, muitas vezes não tem acesso aos serviços médicos como deveria. Atenciosamente, Wilson Dias – Naturopata CREMEN 02.2505 Presidente da Associação Baiana de Medicina Natural e Preventiva (ABMNP)

PROJETO DE LEI Nº ______________________, DE 2017

A Câmara Municipal de ____________________, Estado da Bahia decreta:

Ar Art. 1º - Fica denominado como o DIA MUNICIPAL DO TERAPEUTA HOLÍSTICO, a data de

VINTE E SETE DE SETEMBRO, que deverá ser comemorada em todo o Município, com a

realização de palestras educativas sobre saúde natural e qualidade de vida, além de atendimentos

terapêuticos gratuitos às pessoas carentes, de baixo poder aquisitivo, por profissionais com

registro do CRT (Conselho Regional de Terapia). A Secretaria Municipal de Saúde deverá, nessa

data, afixar avisos por escrito, em locais visíveis como escolas, postos de saúde e outros

estabelecimentos públicos, fazendo menção da data e convocando a população carente para

usufruir dos serviços terapêuticos gratuitos, na referida data comemorativa estabelecida pela

presente lei.

Art. 2º - O CUMPRIMENTO DESTA COMEMORAÇÃO DEVE SER INICIADO EM

SETEMBRO, DO ANO DA APROVAÇÃO DESSE PROJETO DE LEI, COM A SANÇÃO DO

EXMO. SR. PREFEITO MUNICIPAL.

Art. 3º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Plenário da Câmara de Vereadores de ________________, Estado da Bahia, ____ de _____________ de 2017

JUSTIFICATIVA

27 DE SETEMBRO É O DIA DE SÃO COSME E SÃO DAMIÃO. AMBOS ERAM MÉDICOS HOLÍSTICOS E

OFICIAIS DO EXERCITO ROMANO. ELES FORAM OS PRIMEIROS A PRATICAREM UMA CIRURGIA - A

AMPUTAÇÃO E IMPLANTE DA PERNA DE UM SOLDADO NEGRO MORTO EM BATALHA NUM HOMEM

BRANCO, DURANTE UMA GUERRA ENTRE TURCOS E ROMANOS, POR VOLTA DO ANO 300 DA NOSSA

ERA. PELO FATO DE NA ÉPOCA SER PROIBIDO DE SE PRATICAR CIRURGIAS, ELES FORAM

EXCOMUNGADOS PELA IGREJA E PROIBIDOS DE CONTINUAREM EXERCENDO A PROFISSÃO DE

MÉDICO. DIANTE DISSO, ELES CONTINUARAM PRATICANDO A MEDICINA HOLÍSTICA, NA

CLANDESTINIDADE, INDO DE UM LUGAR PARA OUTRO ATENDENDO OS DOENTES EM SUAS

NECESSIDADES, SEM APOIO DO ESTADO NEM DA IGREJA.

PELO SEU PESO HISTÓRICO, COMO TAMBÉM, PELA SUA MENSAGEM HOLISTICA, E PELA TRADIÇÃO

ESPIRITUAL, CULTURA E REGIONAL, O DIA DE SÃO COSME E SÃO DAMIÃO É DIA DE ALEGRIA PARA

AS CRIANÇAS QUE SÃO PRESENTEADAS COM IGUARIAS, E REPRESENTA O QUE HÁ DE MELHOR NO

QUE SE REFERE À SAÚDE HOLISTICA DE BEM-ESTAR FÍSICO, MENTAL E SOCIAL. POR ISSO MERECE

SER ESTABELECIDO O 27 DE SETEMBRO COMO O DIA MUNICIPAL DO TERAPEUTA HOLÍSTICO.

NA REALIDADE, ESTE DIA JÁ FOI CONSAGRADO HÁ SÉCULOS, PELA RELIGIÃO, COMO O DIA

DEDICADO A ESSES DOIS MÉDICOS GÊMEOS. AGORA, QUEREMOS DAR UM ENFOQUE DE

ATUALIDADE NO SENTIDO EDUCATIVO, FORMATIVO E DEMOCRÁTICO NA PROMOÇÃO E PREVENÇÃO

DÀ SAÚDE GLOBAL.

NA DATA DEDICADA AO DIA MUNICIPAL DO TERAPEUTA HOLÍSTICO – 27 DE SETEMBRO – OS

PROFISSIONAIS DA ÁREA DAS TERAPIAS ALTERNATIVAS E NATURAIS DEVEM PASSAR

INFORMAÇÕES AO POVO COMO PREVENIR DOENÇAS E TER MELHOR QUALIDADE DE VIDA, AO

TEMPO EM QUE DEVEM DAR ATENDIMENTO TERAPÊUTICO GRATUÍTO, NOS POSTOS DE SAÚDE E EM

LOCAIS APROPRIADOS, ESTABELECIDOS PELA SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE, BENEFICIANDO

AS PESSOAS CARENTES, DE BAIXO PODER AQUISITIVO.

ACONTECEU O MESMO QUANDO FOI ESCOLHIDO O DIA DO MÉDICO – 18 DE OUTUBRO - QUE NA

VERDADE É O DIA DE SÃO LUCAS. ALÉM DE SER UM DOS EVANGELISTAS E DISCÍPULO DO APÓSTOLO PAULO, LUCAS ERA MÉDICO DA ESCOLA DE HIPÓCRATES, QUE PROFESSAVA OS PRINCIPIOS DA ESCOLA DESSE MÉDICO GREGO, EM ALEXANDRIA. TODA GNOSE HOLÍSTICA DEVE SER CONHECIDA POR SEUS DÍSCIPULOS - E DECLARADA QUANDO NECESSÁRIO - POR ISSO O MÉDICO NATUROPATA OU O TERAPEUTA HOLÍSTICO DEVE SER RESPEITADO E COMPREENDIDO COMO UM AUTÊNTICO PROFISSIONAL DE SAÚDE. PROGRAMAS DE TERAPIA NATURAL Levando em conta a importância da Medicina Natural na recuperação segura do doente, sem agredir o seu organismo, o governador do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, sancionou a Lei 5471, de 10 de junho de 2009, que determina a criação do Programa de Terapia Natural, que autoriza a prática de terapias naturais no sistema público de saúde fluminense. O deputado Álvaro Gomes, apresentou em sessão da Assembléia Legislativa da Bahia realizada em 10 de agosto último, o Projeto de Lei nº 18.140/2009, que cria o Programa de Terapia Natural no Estado da Bahia. A TERAPIA HOLÍSTICA já é usada em todo mundo civilizado e conta com apoio da OMS - Organização Mundial de Saúde -, como também, do Ministério da Saúde através da Portaria 971, que foi assinada em 03 de maio/2006 e publicada no Diário Oficial da União, em 04/05/2006, conforme texto abaixo:

PORTARIA Nº 971, DE 3 DE MAIO DE 2006

(Aprova a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no Sistema Único de

Saúde).

Art. 1º O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, INTERINO, no uso da atribuição que lhe confere o art. 87,

parágrafo único, inciso II, da Constituição Federal, e

Considerando o disposto no inciso II do art. 198 da Constituição Federal, que dispõe sobre a integralidade da atenção

como diretriz do SUS;

Considerando o parágrafo único do art. 3º da Lei nº 8.080/90, que diz respeito às ações destinadas a garantir às

pessoas e à coletividade condições de bem-estar físico, mental e social, como fatores determinantes e condicionantes

da saúde;

Considerando que a Organização Mundial da Saúde (OMS) vem estimulando o uso da Medicina

Tradicional/Medicina Complementar/Alternativa nos sistemas de saúde de forma integrada às técnicas da medicina

ocidental modernas e que em seu documento "Estratégia da OMS sobre Medicina Tradicional 2002-2005" preconiza

o desenvolvimento de políticas observando os requisitos de segurança, eficácia, qualidade, uso racional e acesso;

Considerando que o Ministério da Saúde entende que as Práticas Integrativas e Complementares compreendem o

universo de abordagens denominado pela OMS de Medicina Tradicional e Complementar/Alternativa - MT/MCA;

Considerando que a Acupuntura é uma tecnologia de intervenção em saúde, inserida na Medicina Tradicional Chinesa

(MTC), sistema médico complexo, que aborda de modo integral e dinâmico o processo saúde-doença no ser humano,

podendo ser usada isolada ou de forma integrada com outros recursos terapêuticos, e que a MTC também dispõe de

práticas corporais complementares que se constituem em ações de promoção e recuperação da saúde Art. 1º Aprovar,

na forma do Anexo a esta Portaria, a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no

Sistema Único de Saúde.

Parágrafo único. Esta Política, de caráter nacional, recomenda a adoção pelas Secretarias de Saúde dos Estados, do

Distrito Federal e dos Municípios, da implantação e implementação das ações e serviços relativos às Práticas

Integrativas e Complementares.

Art. 2º Definir que os órgãos e entidades do Ministério da Saúde, cujas ações se relacionem com o tema da Política

ora aprovada, devam promover a elaboração ou a readequação de seus planos, programas, projetos e atividades, na

conformidade das diretrizes e responsabilidades nela estabelecidas.

Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

JOSÉ AGENOR ÁLVARES DA SILVA, secretário adjunto do Ministério da Saúde

ATRIBUIÇÕES DO GESTOR MUNICIPAL: - Elaborar normas técnicas para inserção das práticas integrativas e complementares na rede municipal de saúde. - Definir recursos orçamentários e financeiros para a implementação desta política, considerando a composição tripartite. - Promover articulação inter-setorial para efetivação da política. - Estabelecer mecanismos para a qualificação e contratação de profissionais do sistema local de saúde alternativa ou integrativa. - Estabelecer instrumentos de gestão e indicadores para o acompanhamento e a avaliação do impacto da implantação/implementação da política. - Divulgar a política nacional de práticas integrativas e complementação do SUS. Realizar assistência farmacêutica com plantas medicinais, fitoterápicos e homeopáticos, bem como a vigilância sanitária no tocante a esta política e suas ações decorrentes na sua jurisdição. - Apresentar e aprovar proposta de inclusão das práticas integrativas e complementares no conselho municipal de saúde. - Exercer a vigilância sanitária no tocante as práticas integrativas e complementares e as ações decorrentes, bem como incentivar o desenvolvimento de estudos de fármaco-vigilância e fármaco-epidemiologia, com especial atenção às plantas medicinais e aos fitoterápicos, no seu âmbito de atuação. Diante destas argumentações, solicitamos aos nobres pares a aprovação desta matéria.

Atenciosamente,

Wilson Dias, Naturopata – CREMEN 02.1505; CRTH/BA 522-05; CRT/SP 23.553

Presidente da Associação Baiana de Medicina Natural e Preventiva (ABMNP);

Delegado do Conselho Nacional dos Naturopatas

OBSERVAÇÃO:

Gentileza confirmar o recebimento da matéria, além do seu encaminhamento e aprovação do Projeto de Lei.

 

Wilson Dias

Algum Verso

Publicado em Artigos

- Ao Dia Nacional da Poesia -


* Paulo Carvalho 

Dia da Poesia 1
Seja na tinta
De um pincel,
Pena antiga,
Tecido ou papel,
Pergaminho
Meu ninho!

Seja a estrada
Para o céu,
Ou apenas
O meu caminho
De algum pra
Algum lugar.

Seja o mar aberto
A tempestade
A calmaria,
Seja na verdade
Meus passos
Neste universo!

E que a minha poesia
Alimente almas
E cérebros avessos
E que caiba
Tão somente
E simplesmente
Dentro de algum vaso
Dentro de algum verso! 


* Paulo Carvalho é jornalista, poeta e escritor.

“Se nossas vidas não importam, que produzam sem nós”

Publicado em Artigos

dia internacional da mulherHoje, apesar de ser um dia memorável, não há o que comemorar no dia da mulher! Não há o que comemorar, quando à cada 11 minutos uma mulher é estuprada no nosso país, e a maior parte da população ainda acha que a culpa é da vítima. Não há o que comemorar, se à cada 7 minutos uma mulher é agredida no Brasil (baseado em dados das denúncias, pois a maioria não denuncia por medo ou incompreensão da violência sofrida).

Não há o que comemorar, se diariamente milhares de mulheres morrem em clínicas clandestinas de abortos (a maioria negra e pobre), enquanto por aí homens abortam filhos já nascidos e nada acontece.
Não há o que comemorar quando é o Estado que define o que a mulher deve fazer com o seu corpo, e se ela deve ou não ter filhos. Não há o que comemorar se quando uma mulher é agredida, a maior parte da sociedade acredita que ela "gosta de apanhar" ou "pediu por isso". Não há o que comemorar em meio a uma sociedade que julga mais fácil acreditar que uma mulher é "louca" ou "vingativa", ao invés de
acreditar que ela sofreu violência doméstica.

Não há o que comemorar, se hoje, nesse exato momento, milhares de mulheres, crianças e adolescentes sofrem abuso sexual, e a maior parte de seus algozes são de familiares, pais ou padrastos. Não há o que comemorar se a maior parte das mulheres é marginalizada no mercado de trabalho por ser mãe, e simplesmente por ser mulher, seu reconhecimento e remuneração é bem abaixo do que os homens que ocupam o mesmo lugar no mercado, exercendo as mesmas funções. Não há o que comemorar se mais de 90% das universidades públicas não possuem políticas de assistência estudantil que atendam as mães, para que estas possam ter com quem deixar seus filhos para estudar, ou tenham condições financeiras para se manter na universidade. A maioria inclusive é humilhada ao ter de levar seus filhos na universidade, pois este acaba se tornando mais um espaço excludente das mães. Não há o que comemorar se os homens vêem o corpo da mulher como sua propriedade.

Não há o que comemorar se hoje, diversas mulheres fazem o papel duplo, de pai e mãe, provendo todas as necessidades emocionais, físicas e financeiras de seus filhos, enquanto ao mesmo tempo são julgadas pela sociedade por serem "mãe solteira" (lê-se mãe solo), enquanto aqueles que deveriam assumir suas responsabilidades de pai, simplesmente se eximem  por ter ao seu lado a impunidade necessária para que o "aborto" seja legalizado para os homens. Não há o que comemorar se,  diversas  mulheres, mesmo após denunciar seu agressor, o vê livre, infringindo a medidas protetivas e ameaçando-as, enquanto essas seguem se escondendo e privadas da liberdade.

Não há o que comemorar após termos visto uma presidenta ser deposta e sua imagem ser associada a loucura e histeria pelo fato de ser mulher, e em seu lugar ocupar o governo mais misógino e antidemocrático dos últimos tempos, que insiste em tentar colocar a mulher no lugar onde julga ser o seu, que segundo eles, não é na política. Não, não temos o que comemorar. Hoje, apesar de reconhecer os resultados que tivemos com muita luta e sangue derramado de nossas mulheres, empoderadas e batalhadoras, nos libertando de muitas amarras que nos amordaçavam no passado, tenho a consciência de que hoje veremos uma sociedade "pró mulher", promovendo textões de apoio e valorização da mulher, e entregando rosas por aí, mas amanhã, veremos novamente todo o machismo e misoginia impressa na cara da sociedade e sentiremos na pele os diversos tipos de violência que sofremos todos os dias. Então não, hoje não há o que comemorar...

Não queremos feliz dia da mulher, não queremos abraço, não queremos rosas. Hoje, assim como todos os outros dias, queremos justiça e paz, queremos andar nas ruas Sem Temer, queremos que a sociedade destrua dentro de si, ao menos um pouco do machismo que vitimiza milhares de mulheres todos os dias. Hoje, homens, não queremos textão, queremos a sua compreensão de que a mão machista é a base de apoio para a mão que assassina, estupra e assedia milhares de mulheres diariamente. Queremos a compreensão de que o seu xingamento, a sua voz exacerbada e as suas palavras duras ferem como um tapa, e que violência psicológica também mata, mata a alma e destrói o que a mulher é. Queremos a compreensão de que somos donas do nossos corpos, das nossas vidas e por isso dela possamos fazer o que quisermos, sem significar um convide pra qualquer coisa que seja. Hoje estamos em greve, porque se nossas vidas não têm valor, que produzam sem nós!
E assim como todos os dias, queremos respeito, dignidade e seguir Sem Temer!

Bruna Barbosa
União Brasileira de Mulheres (UBM), Juazeiro-BA

Ascom

CORES PELOS CAMINHOS

Publicado em Artigos

Escritor LuizVoltando de Santos, de um cruzeiro no navio Costa Fascinosa que não recomendo, em Fevereiro, fico extasiado com o espetáculo descortinado diante de meus olhos ávidos de cor e luz. Falo do jacatirão nativo que vejo explodir em flores no fim da primavera e no verão, aqui em Santa Catarina e no Paraná, onde os vejo sempre.

Sabia que eles existiam pelo Brasil afora e agora sou testemunha: eles são belíssimos e em grande quantidade nas matas cortadas pelas rodovias do norte do Paraná e principalmente em São Paulo. Depois de Registro e até perto de Santos o quadro é de uma beleza grandiosa: o jacatirão domina a paisagem, enchendo a mata verde de manchas vermelhas.

Considerava-me privilegiado em ter a profusão de flores de jacatirão no verão, no norte e nordeste da nossa Santa e bela Catarina, mas fico feliz de saber que o privilégio não é só nosso, que os paulistas também são abençoados pela Mãe Natureza com essas árvores generosas e majestosas.

Há, também, flamboiãs vermelhíssimos, pelos caminhos, além de primaveras enormes e muito floridas, mas nada que se comparasse aos jacatirões, que espalham suas incontáveis flores pelas florestas que se espraiam pelos lados das rodovias paulistas, paranaenses, catarinenses. E, quiçá, de tantos outros estados.

Impossível não vê-los e não admirá-los, árvores singelas e majestosas ao mesmo tempo, a balançarem seus galhos pejados de flores que vão do branco ao vermelho, algumas pendendo para o lilás.

Elas estão lá, no nosso caminho, mostrando que Mãe Natureza ainda nos ama, a nós, seres humanos, que desdenhamos tanto dela, que a menosprezamos tanto. Mas é preciso, repito mais uma vez, olhar e ver. Algumas coisas belas estão sempre ao alcance dos nossos olhos, sempre no nosso caminho e, de tão presentes, acabamos não vendo. Olhamos e não vemos. Temos de olhar e ver, para atribuir-lhes o devido valor e preservá-las, pois do contrário podem não estar mais lá amanhã.

Então, irmãos de todos os lugares, verão é tempo de jacatirão, de flamboiã, de primaveras floridas. Não deixem de vê-los. São espetáculos gratuitos e enchem os olhos e o coração.

 ............................................................................

Por Luiz Carlos Amorim - Escritor, editor e revisor, Fundador e presidente do Grupo Literário A ILHA, com 36 anos de trajetória, cadeira 19 na Academia SulBrasileira de Letras. http://luizcarlosamorim.blogspot.com.br – http://www.prosapoesiaecia.xpg.uol.com.br

Parabéns a Terra da Barragem!

Publicado em Artigos

@ Editorial

Parabéns a Terra da Barragem!

Logo jornal A Notícia do ValeCidade devia ser como as pessoas, senão, até melhores! Se cada vez ao completar idade nova pudesse refletir sobre seus atos de vida, alguma mudança, novos planos, autocrítica, crescimento. Mas como, se nem as pessoas são assim? Deviam ser, mas na maioria das vezes não são!

E cidade não é gente, depende da gente! Das nossas atitudes; de nosso zelo; de nossa atenção; de nossa vida, a partir de nossas escolhas, projetos de sustentabilidade financeira, social, política, cultural, socioambiental, entre tantos outros projetos, que se dependesse exclusivamente de uma teoria de abstração, fábula, encantamento, a própria cidade se sustentava, se administrava, se completaria por si só!

Claro, não é só Sobradinho a cidade em questão, embora seja a aniversariante de fevereiro, entre as cidades do Vale. Dirigimos-nos a todas as cidades, até porque nossas cidades sem auto sustentabilidade, e sem gestores capazes de administrá-las como elas merecem se afundam em dívidas, em problemas socioeconômicos e estruturais, e uma demanda de serviços à população que na verdade não atende aos principais interesses do povo sofrido do Vale do São Francisco.

Sobradinho tem nome mínimo, pequenino, mas é grande a sua atuação política, assim como é grande o seu potencial turístico, atraindo milhares de visitantes de várias cidades do Vale, e de outras localidades, e por ter aqui uma das maiores hidroelétricas do país, a CHESF – Companhia Hidro Elétrica do São Francisco, e a “Barragem de Sobradinho”, tendo um lago artificial que é considerado o 2º maior do mundo em volume de água (espelho d’água).

E por estas e outras condições favoráveis ao turismo, ao ecoturismo e ao enoturismo, é que Sobradinho é uma terra privilegiada, e embora ainda nova, apenas 28 anos, se destaca entre as cidades do Vale. Seu potencial agrícola, de piscicultura, de aventuras, mostra uma cidade com capacidade de crescimento regional mantendo seus atrativos turísticos com responsabilidade e sustentabilidade.

Considerada “Terra da Barragem” porque foi a partir de sua construção que nasceu e se desenvolveu cada vila onde repousavam os trabalhadores daquela ousada construção - a barragem - hoje orgulho turístico da cidade. Sua emancipação foi mais que necessária e daí em diante seu crescimento político-social-econômico, que a colocou no cenário baiano e nacional como uma das cidades de grandes possibilidades e de futuro promissor.

Celebramos os seus quase 30 anos com a mesma euforia de quando se emancipou, e mesmo que seu nome seja um sobrado pequeno, como se lembrasse um livro de infância, o carinho de seu povo, por ti Sobradinho, não é apenas uma rima, é uma realidade, uma verdade, e se nota todos os dias pela cidade! Esta rima é nossa, assim como é nossa a gratidão!

           

PARABÉNS!