Educadores debatem os desafios da Educação do Campo no Norte da Bahia

Publicado em Casa Nova

IMG 20170615 WA0071 1“Diante do atual cenário de crise política e avanço do conservadorismo, quais são os desafios que as escolas do MST possuem?”. Essa pergunta foi feita na abertura do 2º Encontro de Educadoras e Educadores da brigada Pau de Colher, que teve início nesta quinta-feira (15), em Casa Nova, no Norte da Bahia.

Cerca de 60 profissionais da educação que atuam nos assentamentos e acampamentos do MST na região participam do Encontro, que segue com uma programação repleta de debates até sexta-feira (16), com o objetivo de avançar no estudo teórico e prático sobre os desafios que estão colocados para educação do campo no Brasil.

O encontro tem discutido o atual momento político com foco nas dificuldades encontradas para se consolidar uma educação do campo de qualidade, sem perder de vista, um dos desafios que foi colocado para dentro do Movimento e tem sido reafirmado em diversos encontros: introduzir a temática da agroecologia na educação básica.

Ao trabalhar o tema da história da educação dentro do MST, Antônio Martins, da direção estadual do Movimento, disse que o modelo metodológico educacional aplicado pela organização dentro e fora dos assentamentos e acampamento, passou a ser utilizado em outros países, como na Bulgária.

“Hoje enfrentamentos muitos desafios frente ao processo de luta em defesa da Reforma Agrária Popular, por isso mesmo, precisamos entender o contexto que surge nossa luta e a partir disso, ampliar nossas reflexões para um horizonte revolucionário”, e continuou, “nossas experiências são referências mundo a fora e, mais uma vez, precisamos estar a postos para sermos educadores que puxam as lutas e fazem do estudo uma ferramenta de emancipação e conscientização da classe trabalhadora”.

Nossa história

Com base no processo de construção da luta pela terra na região onde a brigada está localizada, o encontro contou com a participação do escritor Marcos Damasceno, que escreveu o livro “Guerra do Pau de Colher”.

A participação de Marcos contribuiu na construção de reflexões sobre o território e como o cenário nacional impacta diretamente no contexto local. Para ele, a realização do resgate da história da guerra “Pau de Colher”, que ocorreu no município de Casa Nova, é importante para se perceber o avanço da luta coletiva na região.

Para o setor de educação do MST, a história dos sujeitos é a base para se pensar os processos educativos, desde o cenário local ao nacional, por isso, é importante conhecer a história do território e incidir politicamente enquanto movimento social.

Projeções

Com mística, animação e atividades culturais, o Encontro de educadores pretende ser uma ponte que projete as lutas em defesa da educação do campo no norte do estado, através de uma ampla articulação campo e cidade para fortalecer a Reforma Agrária e pautar a construção de uma educação popular.

 

Por Coletivo de Comunicação do MST na Bahia

 
 

Casa Nova: A força do associativismo

Publicado em Casa Nova

Reunião vereada da EmaEleito em outubro de 2016 o prefeito Wilker Torres definiu grandes eixos da administração, tornando prioridade saúde, educação e atenção ao interior. Em um município como Casa Nova, com 9 mil e 600 quilômetros quadrados, com localidades distantes mais de 200 quilômetros da sede e completa desorganização patrocinada pela gestão anterior, estas prioridades tornaram-se obstáculos quase intransponíveis.

“Precisamos fazer destes quatro anos quarenta” -  Diz Wilker Torres – “Ou não recuperamos o tempo perdido”

Uma das atividades incentivadas e patrocinadas pela administração municipal é o fortalecimento do associativismo, capaz de multiplicar os escassos recursos, unir comunidades em torno de objetivos comuns e atender as demandas mais prementes.

Quem fala sobre o associativismo e as atividades desenvolvidas nestes primeiros meses de administração é o Secretário de Governo, Carlos Alves Costa (Carlos do Tigre), que conhece de perto a realidade das comunidades do interior de Casa Nova e é responsável pelo programa “A Força do Associativismo”: “Queremos alcançar todas as localidades do interior de Casa Nova. Criando associações onde ainda não existem, fortalecendo as existentes, trocando experiencias entre comunidades e decidir de comum acordo com as representações comunitárias o que deve ser feito em cada localidade”.

Carlos do Tigre exemplifica com as reuniões de avaliação realizadas nas comunidades de Vereda da Ema, Tigre e Vermelhos, que reúne cerca de mil habitantes, próximas ao Poço da Pedra e a 20 quilômetros da sede:

“A administração, a partir de reuniões anteriores, decidiu pelo patrolamento das estradas, desde a principal e as vicinais e recuperamos mais de 70 quilômetros. Outra demanda era a recuperação do campo de futebol e a regularização da distribuição de água, através dos carros pipa contratados pelo Exército que abastece a região. Foram ações pontuais, atendendo pedidos das comunidades”.

“Ainda há muito o que fazer, principalmente nestas pequenas comunidades do interior de Casa Nova” – registra Wilker Torres – Mas, a nossaVereda da Ema 6 disposição é fortalecer esse processo de ouvir e atender às demandas, sem favorecimento”, listando outros pedidos feitos em uma reunião com representantes das comunidades na última semana: Pequenas reformas e aquisição de um freezer para a Escola, caixa d’água e instalação da bomba.

Os moradores estão sendo cadastrados e feito levantamento para a perfuração e poços artesianos e viabilizando apoio aos projetos apresentados pela Associação de Vereda da Ema, que serão executados em parceria com o Programa “Força do Associativismo”.

À reunião na Vereda da Ema, com a presença de mais de cem moradores, estiveram presentes Carlos do Tigre, Rivelino Silva Santos, responsável pela Defesa Civil – CONDEC, Maria José da Secretaria de Ação Social, o Presidente e o Vice da Associação, Josenor e Honorato.

“O trabalho integrado entre os vários órgãos da prefeitura vai produzir resultados muito mais rapidamente” – avalia o prefeito Wilker – “De nossa parte é reconhecer que há muito por fazer, mas temos absoluta certeza, que estamos no caminho certo”.

Vereda da Ema 5

Seminário capacita técnicos e secretários de Casa Nova

Publicado em Casa Nova

Secretarios e colaboradores participam de capacitaçãoAconteceu durante os dias de sexta-feira, sábado e domingo (09,10 e 11), em Juazeiro uma oficina de capacitação voltada para secretários, coordenadores e dirigentes de órgãos públicos do município de Casa Nova.

A Oficina de Planejamento Municipal com foco na gestão de resultados, analisa todos os procedimentos necessários à gestão de recursos e pessoal, dá destaque aos cuidados necessários para gastos e planejamento de despesas e capacita ordenadores de despesas para que não incorram nos erros comuns que levam à desaprovação de contas.

Ministrada por Jorge Nascimento, consultor, doutor em contabilidade pública, ex-secretário da Fazenda de Salvador e de Juazeiro e por Manoel Timbó, especialista em Gestão Pública, Pessoal e Direito Público, a oficina foi iniciativa do Prefeito Wilker Torres: “Queremos profissionalizar a gestão da prefeitura. Hoje, com todas as dificuldades, financeiras, econômicas e sociais, não há mais espaço para improvisação”.

“Capacitar nossos colaboradores e servidores é parte desde processo de mudança e valorização do funcionalismo. Queremos servidores motivados, criativos, envolvidos com o desenvolvimento de Casa Nova” – observa o prefeito que participou desde o primeiro dia da oficina – “Também sou um servidor do Povo de Casa Nova” – justifica.

(Por Manoel Leão/Fotos A Noticia do Vale)

Prefeito Wilker prestigiou seminário

Jorge Nascimento o palestrante

Câmara aprova Projetos para acelerar a mudança em Casa Nova

Publicado em Casa Nova

Wilker e as dificuldades da prefeitura1O prefeito de Casa Nova conseguiu aprovação na Câmara de Vereadores, na última terça-feira (05/06) e sancionou nesta sexta-feira (09/06), dois projetos que vão contribuir para acelerar melhorias significativas para a população do município: O primeiro é um pedido de autorização de alienação “mediante processo licitatório” do terreno localizado entre as agências do Banco do Brasil e a do Bradesco; e o segundo trata de “doação com obrigações” da área onde se iniciou a construção de galpões para o novo mercado.

Em relação ao terreno na lateral do BB a alienação será por processo licitatório, como se fosse um leilão, onde quem faz a melhor oferta ganha e já parte de 1,5 milhão, valor da avaliação. A renda com a venda deste terreno, será utilizada exclusivamente para obras no Distrito de Santana do Sobrado.

“Santana merece muito mais do que recebeu na administração anterior e do que já conseguimos realizar nestes primeiros meses de administração, mas a prefeitura não tem recursos disponíveis. O melhor caminho é a venda deste terreno, que já foi doado para a construção de uma agência do INSS, que nunca saiu do papel e doado à Caixa Econômica Federal para uma nova agência que também não se tornou realidade. Retomamos, aprovado na Câmara e vamos vende-lo pelo melhor preço para utilizar esse dinheiro em Santana do Sobrado” .

O prefeito calcula que a partir do preço inicial estabelecido pelo avaliador, possa ter ofertas acima do dobro e já pensa nas mudanças que estes recursos irão operar no distrito: “A entrada de Santana, 100% de saneamento na área urbana, melhoria das praças e do fornecimento de água. Iluminação das ruas e das praças. Vamos fazer as mudanças que o povo de Santana espera”

“Além dos quatro vereadores de Santana do Sobrado, tivemos os votos favoráveis de nove outros vereadores. Pensam de forma diferente, cada um representa comunidades diferentes, mas todos, sem exceção, cada um a seu modo, querem o melhor para Casa Nova. Entenderam que a venda deste terreno é a saída para a obter recursos”. – Comemorou Wilker Torres.

O segundo projeto, aprovado por larga maioria, trata da doação da área onde começaram a ser construídos galpões que iriam abrigar o mercado municipal: “Entendemos que reformas estruturais no mercado municipal ainda atendem nossa população, então aqueles galpões, abandonados e que requerem investimentos vultosos, que a prefeitura não dispõe, servirão para que Casa Nova possa sediar um campus universitário. Não é uma doação e sim a cessão com compromisso de retorno de quem receber o terreno e os galpões. É um passo importante para dar aos jovens de Casa Nova alternativas de formação e tornar nossa cidade em um polo universitário” – disse Wilker Torres, agradecendo aos vereadores que mostraram compromisso com o desenvolvimento do município.

 Por Manoel Leão/Foto de Arquivo A Noticia do Vale

Dagmar Nogueira: “Nossa preocupação é melhorar a quantidade de água em cada casa de Casa Nova”

Publicado em Casa Nova

DSC 0024A Diretora do SAAE da cidade de Casa Nova, Dagmar Nogueira, atendendo solicitação do radialista Waldiney Passos, participou na manhã deste domingo (04/06) do Programa “Alerta Geral”, transmitido pelas emissoras Rural e Rádio Grande Rio AM. Mostrando realizações, mesmo diante do quadro de inadimplência, desperdício e descaso, herdados da administração anterior que encontrou ao assumir, Dagmar Nogueira, na sua forma direta e incisiva de falar, criticou duramente as pessoas que “ao destruir patrimônio público pensam que estão me prejudicando”, referindo-se ao caso de Santana do Sobrado, onde um vândalo furou o cano que abastece o residencial e interrompeu o fornecimento de água por várias horas e proprietários de chácaras que desviam água das adutoras e até formavam lagos para criar peixes.

Dagmar Nogueira diz que o maior problema encontrado e resolvido foi a qualidade da água causado por falta de pagamento ao fornecedor de material de purificação: “Só vai encontrar quem fale da qualidade da água em Casa Nova pessoas que querem o pior. Pessoas de bem não vão dizer isso” Lembrou que o SAAE abastece cinco localidades do interior: Santana do Sobrado, São Luiz (Mosquito), Pau a Pique, Barra da Cruz e Bem Bom e reconheceu: “Temos muitas e muitas dificuldades em todos esses lugares”, mas garantiu que sua única preocupação é aumentar a quantidade de água oferecida à população do município. “Todos sabem como recebemos os sistemas de abastecimento de água desses povoados” – diz Dagmar ao falar sobre a real situação do SAAE.

A Diretora lembrou que muito se falou em Casa Nova sobre a possibilidade de ter sido indicada para se desgastar politicamente, já que a água foi um problema presente em todas as gestões: “Aqueles que falaram estão enganados. O prefeito pensa como eu penso. Estou no SAAE para fazer a diferença” e reafirmou seu compromisso e determinação de levar água tratada, com qualidade e em quantidade a todos os bairros da cidade e distritos do município.

Para Dagmar faltou determinação, seriedade e compromisso por parte da gestão anterior, que deixou folha de servidores e fornecedores a pagar, deixou de cumprir com a Agencia Nacional de Água e desrespeitou o morador de Casa Nova ao desviar recursos ou deixar de cobrar quem muito consome e nunca pagou. Relatou a liberação de 8,5 milhões destinados a melhorar todo o sistema, a compra de dois mil hidrômetros e o início das obras para captação de água na Cabeça da Vaca; a constante fiscalização contra o desperdício e atenção à qualidade. Para ela, água em Casa Nova, em quantidade, porque a qualidade é indiscutível, é um problema com data certa de solução.

 

Por Manoel Leão/ Foto: Joaquim