Câmara sede auditório para CIPE-Caatinga

Publicado em Juazeiro

Câmara sede auditório para II Parada da CIPE-Caatinga

 MG 8925A Câmara de Vereadores de Juazeiro sediou, na tarde desta segunda-feira (27), mais uma Parada da CIPE- Caatinga (Companhia Independente de Policiamento Especializado). O encontro ocorre a cada três meses e discute temas administrativos operacionais com todo o efetivo da Unidade.

A reunião foi presidida pelo comandante da Unidade, Major PM Wildon, que apresentou um balanço das ações realizadas pela Companhia desde que assumiu o posto há quatro meses. “As ações desenvolvidas nessa região tem sido positivas, temos conquistado vitórias, mas a preocupação principal é com a qualidade e a integridade dos policiais. Está próximo o aniversário de quinze anos e há a necessidade de se criar um museu para contar a história da atuação da CIPE nessa região”.

Foi demonstrado, ao longo da reunião, um ranking do desempenho das atividades desenvolvidas pela Companhia, o qual demonstra que o maior índice é de prisões em flagrante, armas apreendidas e apreensão de drogas, com atenção para 04 erradicações de maconha no período.

 Laiza Campos - Ascom CMJ

Fotos: Joselito Tavares

Juazeiro lidera geração de empregos

Publicado em Juazeiro

Juazeiro lidera geração de empregos na Bahia e em todo o Nordeste

 DSC0027De acordo com informação divulgada pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados/CAGED, no primeiro semestre deste ano  Juazeiro passou a ser a cidade que mais emprega na Bahia e em todo o nordeste. Essa conquista se dá mediante ações da Prefeitura, que tem alavancado o desenvolvimento econômico do município com atração de empreendimentos públicos e privados. Para tanto foi criada uma secretaria específica com o intuito incentivar e apoiar novas empresas. Com isso, o distrito industrial dobrou o número de empresas em seis anos.

 “Pela primeira vez na história ficamos como a quarta cidade que mais emprega no Brasil e como a primeira no nordeste. Isso mostra que estamos no rumo certo, trabalhando sério para que Juazeiro continue sendo cada vez mais uma cidade boa para morar e investir”, ressaltou o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Carlos Neiva.

A informação oficial, divulgada pelo Ministério do Trabalho, é com base na pesquisa nacional do CAGED. Além das inúmeras empresas que foram instaladas na cidade, a Prefeitura conseguiu trazer o maior volume de obras públicas da história. São mais de 11 mil casas, 15 grandes creches, 44 postos de saúde, recuperação e pavimentação de ruas e avenidas, que também geram empregos e movimentam a economia.

E Juazeiro ainda permanecerá se destacando na geração de empregos por um bom tempo, pois em novembro será inaugurado o maior e mais moderno shopping da região, com oferta de três mil vagas diretas. “Essa é mais uma prova de que o nosso município saiu da estagnação. Estamos crescendo em todas as áreas e vivemos um momento histórico no desenvolvimento econômico, com origem no plano que elaboramos em 2009 e agora vem rendendo frutos. Vamos continuar trabalhando firme para que Juazeiro continue oferecendo boas e grandes perspectivas tanto para a população quanto para os investidores”, explicou o prefeito Isaac Carvalho

 

Luiz Hélio/PMJ/Foto: Divulgação




Campanha beneficente do Rotary Club

Publicado em Juazeiro

ROTARY CLUB SÃO FRANCISCO REALIZA CAMPANHAS PARA A FUNDAÇÃO LAR FELIZ

IMG 20150722 WA011Em parceria com a Casa da Amizade e Assai Atacadista, o Rotary Club de Juazeiro São Francisco mobilizou no mês de julho, centenas de pessoas para doarem alimentos não perecíveis para a Fundação Lar Feliz. Em apenas um dia, foi arrecadada aproximadamente uma tonelada de alimentos.

Fundada há mais de 17 anos, a Fundação atende diariamente 450 crianças, de 0 a 11 anos, e fica localizada no bairro do Argemiro, em Juazeiro. Além de contar com o apoio da Prefeitura Municipal, a entidade tem como parceira outras instituições públicas e privadas.

Segundo o presidente do Rotary, Rubem Arouca, a iniciativa pretende cumprir a missão da organização, que é atender pessoas em vulnerabilidade social, através de projetos e ações que auxiliem entidades governamentais e não governamentais. Arouca disse ainda, que serão desenvolvidas outras ações, em parcerias com pessoas e entidades que estejam dispostas a cuidar dos menos favorecidos. “O Assai Atacadista tem sido um grande parceiro, e a nossa meta é nos unirmos com outras empresas, juntamente com a Casa da Amizade, e atendermos um maior número de pessoas através de projetos sociais que mudem situações por mais adversas que pareçam”, enfatizou o presidente. Arouca lembrou que, paralelo a Campanha de Arrecadação de Alimentos, o Rotary São Francisco e a Casa da Amizade em parceria com o Programa ‘Quando nasce uma Esperança’ da Rádio Juazeiro arrecadaram 350 toalhas de banho para as crianças da Fundação Lar Feliz.

“Agradecemos a todas as pessoas que, sensíveis aos nossos apelos, doaram alimentos e toalhas para a Fundação Lar Feliz. Em especial ao Rotary, a Casa da Amizade, ao Programa ‘Quando nasce uma Esperança’ da Rádio Juazeiro e ao Assai Atacadista. Tenho certeza que cada um será recompensado com bênçãos infinitas da parte de Deus”, agradeceu Maria da Ressureição Souza Barbosa, a presidente da Fundação Lar Feliz.

 

Por: Célia Regina Carvalho/Foto: Divulgação

JUÁ GARDEN reúne lojistas em Juazeiro

Publicado em Juazeiro

JUÁ GARDEN SHOPPING REÚNE LOJISTAS PARA PRIMEIRO CURSO DE CAPACITAÇÃO

Cerca de 70 lojistas participaram do treinamento da equipe do SOL (Serviço de Orientação ao Lojista)

DSC 0009Os lojistas do Juá Garden Shopping participaram nesta semana, do primeiro curso de capacitação oferecido pelo shopping. O intuito é orientar, capacitar e apresentar aos novos parceiros, as melhores maneiras de conduzir seu próprio negócio. O treinamento foi concedido pela equipe do SOL (Serviço de Orientação ao Lojista), setor criado pela Tenco Shopping Centers com objetivo de ajudar o lojista a ter sucesso em seu empreendimento. A capacitação será constituída de cursos gerenciais nas áreas de finanças, atendimento ao cliente além de clínicas tecnológicas, que serão promovidas de julho a setembro, beneficiando cerca de 60 lojas.

DSC 0013O Juá Garden Shopping vai ser inaugurado em novembro, levando desenvolvimento para toda região de Juazeiro da Bahia. Cerca de três mil postos de trabalho vão ser gerados, entre diretos e indiretos. “A proposta é apoiar desde o inicio os novos lojistas levanto equipes especializadas para apresentar condições viáveis, para que obtenham o melhor resultado possível, como já acontece em todos os shoppings desenvolvidos pela Tenco Shopping Centers”, afirma o Gerente de Marketing do Juá Garden Shopping, Marcelo Portela. 

Juá Garden Shopping

Por meio de investimento da ordem de R$ 150 milhões, o Juá Garden Shopping já conta com grandes marcas do varejo nacional.  O megacentro terá 40 mil m²de área construída, distribuídas em dois pisos. Entre as mais de 160 lojas estão cinco “âncoras”, três megalojas, quatro salas de cinema com tecnologia 3Dseis estabelecimentos de serviços e estacionamento com mais de 1100 vagas.Outro ponto que merece destaque é a praça de alimentação, que contará com dois restaurantes e 18 opções de fast-food. Estima-se que serão gerados aproximadamente cinco mil empregos, entre diretos e indiretos, durante e após as obras.

Site: www.juagardenshopping.com.br

Facebook: /juagarden

Instagram: @juagardenshopping

Tenco Shopping Centers

Um dos principais grupos do mercado de shopping no Brasil, a mineira Tenco Shopping Centers inaugurou em 2014, dois novos shoppings: o Lages Garden Shopping, em Santa Catarina, e o Roraima Garden Shopping, em Boa Vista.

Para este ano, 2015, estão previstas duas inaugurações em novembro: Juá Garden Shopping, na Bahia, e Via Café Garden Shopping, em Varginha (MG). A estratégia de negócio da empresa é a interiorização de shoppings centers, sempre privilegiando a regionalidade, proporcionando centros de experiência e convivência. Completando 27 anos, a Tenco desenvolveu mais de 26 shoppings, chegando ao total de mais de 2.500 lojas, alcançando mais de 1.200.000m² de área construída.

Fotos: A Noticia do Vale

Vale produz maconha para o mercado nacional

Publicado em Juazeiro

MACONHA DO VALE DO SÃO FRANCISCO É DESTAQUE NA REVISTA CARTA CAPITAL

Vale do São Francisco produz parte da maconha que abastece 40% do mercado nacional.

maconhaO Polígono da Maconha, formado por 13 cidades (Salgueiro, Floresta, Belém de São Francisco, Cabrobó, Orocó, Santa Maria da Boa Vista, Petrolina, Carnaubeira da Penha e Betânia, todas em Pernambuco, e Juazeiro, Curaçá, Glória e Paulo Afonso, na Bahia), é responsável por 40% da maconha consumida no País. A afirmação é do sociólogo Paulo Cesar Fraga, professor da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) em Minas Gerais.

Em entrevista à revista Carta Capital, Paulo Fraga disse que essa quantidade de maconha produzia na região do Vale do São Francisco vem da agricultura familiar. “O trabalhador envolvido no plantio da cannabis não se diferencia do agricultor tradicional. São agricultores pobres, que não têm muitas condições de uma vida mais digna de consumo e bem estar fora do plantio ilícito. Muitos deles em uma época do ano plantam o produto tradicional como o algodão, o pimentão, o tomate e, em outra parte do ano, se envolvem no plantio de cannabis. Ou seja, utilizam o plantio de cannabis como forma de complementar sua renda. Outros se dedicam mais intensificadamente e estão mais atrelados à rede criminosa. Mas é importante frisar que a grande maioria dos agricultores locais não têm qualquer relação com o plantio de cannabis”, disse.
Paulo Fraga explicou como os trabalhadores se envolvem nesse tipo de plantio. “Os trabalhadores se envolvem, geralmente, de três formas. A primeira é como assalariado. Sendo contratado por um período, para plantar, cuidar e colher. Pode ser, também, no sistema de meeiro, quando cuida de uma porção de terra e depois divide o produto com quem chamam de “patrão”, uma pessoa que geralmente nem conhecem. A terceira forma é como agricultura familiar. Em qualquer um dos três modos, o pequeno agricultor envolvido não tem controle do preço final do produto e se insere de maneira subalterna, em um elo de produção e venda em que há mais atores. O agricultor é o elo mais frágil da cadeia e é quem mais sofre com a repressão porque está na ponta do processo e mais desprotegido”, relatou.
Para Fraga, o governo deveria rever sua política de repressão ao plantio, o que poderia ajudar no desenvolvimento dos municípios afetados pela produção e também os pequenos agricultores, que acabam submetidos às regras do crime organizado. Dados da Polícia Federal mostram que 1kg de maconha rende para um agricultor da erva cerca de 150 a 200 reais, enquanto que a maconha é vendida nas capitais entre 600,00 e 1.000,00 reais.
 
(Fonte: Revista Carta Capital/foto: arquivo divulgação)