Começou Oitavo Festival Regional do Umbu de Uauá

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Outras cidades

Evento exalta cooperativismo e favorece economia da região.

umbuA agricultura familiar e a economia solidária são os grandes nomes do 8º Festival Regional do Umbu de Uauá, aberto oficialmente nesta sexta-feira (29). Centenas de pessoas de várias cidades da Bahia e de outros estados estiveram presentes na cerimônia de abertura do evento, que é uma realização da COOPERCUC (Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá) em parceria com o Governo Federal, Governo do Estado, Banco do Nordeste, IRPAA, Procasur, Pró Semiárido, Embrapa, CAR, FIDA e prefeitura de Uauá.

Participaram da cerimônia, representantes dos Governos Estadual e Municipal, além de membros da Assembleia Legislativa do Estado, Câmara de Vereadores e cooperativas da região e de outras cidades do Brasil. “Esse festival vem fortalecer a cultura e a economia do Semiárido e o Governo do Estado tem dado apoio a isso. Estamos desenvolvendo um projeto para levar os produtos da agricultura familiar para as grandes redes de supermercados do país, firmando uma parceria entre elas e as cooperativas e associações. Assim vamos quebrando as barreiras entre a produção e a comercialização desses produtos”, disse o diretor da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado, Armindo Gonzalez, um dos representantes do Governo do Estado no evento.

O presidente da Coopercuc, Adilson Ribeiro destacou a importância do trabalho da entidade para o fortalecimento da economia da região. “Temos consciência de que já alcançamos bons resultados, mas muito ainda precisa ser feito. Nosso sucesso é resultado de persistência e porque realmente acreditamos no nosso trabalho”, disse durante o discurso de abertura.

O Festival do Umbu trabalha o tema: “O Ano internacional das Leguminosas” e atraiu expositores de cidades como Salvador, Ilhéus, Tucano, Capim Grosso, Caldas do Jorro, Macururé, além de Uauá. Mais de 40 Stands foram montados na feira, que reproduz um ambiente de cidade do interior logo na entrada. Estão expostos diversos produtos feitos à base de umbu, couro, sisal, licuri e mel. São doces, geleias, azeites, biscoitos, bolsas e bebidas. Um dos destaques é a cerveja artesanal de umbu, produzida pela Coopercuc e a cachaça de umbu, feita e comercializada pela Cooperbode - Cooperativa de Trabalho Agropecuário Familiar dos Criadores de Caprinos de Uauá e Região, fundada há um ano. 

Robson Gomes, presidente da cooperativa, explica que eles fazem 142 tipos de cachaça e decidiram investir também no umbu como matéria prima, para valorizar um fruto regional. “Procuramos sempre melhorar a nossa qualidade. Já estamos conseguindo comercializar para muitas cidades e a cada cachaça vendida, uma muda de umbuzeiro é plantada pela cooperativa”.

Da cidade de Tucano (BA) vieram bolsas e acessórios feitos à base de couro, confeccionados pela COOPACT- Cooperativa dos Produtores de Artefatos de Couro da Comunidade do Tracupá- em Tucano (BA). Toda a produção é feita na cooperativa, que usa material comprado em Juazeiro e em outras cidades do estado. “Temos 70 tipos de produtos e é a primeira vez que participamos do Festival do Umbu. Uma ótima oportunidade pra nós”, disse o representante, Adriano Ferreira.

O primeiro dia de Festival ainda contou com a exposição “A história da Coopercuc em imagens e vídeos”, lançamento do livro de receitas “Mesa farta no Semiárido”, da revista “Bahia Oportunidades”, da cartilha e vídeo “Juventude Rural e cooperativismo” e ainda, shows musicais.

Programação Sábado

8h 30 - Feira de Economia Solidária e Agricultura Familiar;

Exposição: A história da COOPERCUC em imagens e vídeos;

9h - Apresentação Cultural ( RBB grupo de crianças de Curaçá; Cia Teatral de Canudos);

9h15 - Mesa redonda: Políticas Públicas de Apoio a Agricultura Familiar;

11h - Apresentação Cultural;

14h - Oficinas/ Painéis temáticos

16h - Concurso de Aboiadores;

17h -Concurso de Cordel da Juventude;

18h - Premiação e apresentação cultural;

21h - Shows Culturais

Ascom

Cerveja artesanal de umbu e doce light...

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Outras cidades

serão destaques no Festival Regional do Umbu em Uauá

cerveja saison umbu cerveja de umbuNo sertão nordestino, na terra do bode, essa semana a estrela é o umbu. Durante a oitava edição do Festival Regional do Umbu, realizada de 29 a 30 de abril, em Uauá, a 428 km de Salvador, agricultores familiares e o público em geral vão conhecer e apreciar as guloseimas produzidas à base do fruto.

De sabor azedinho, rico em sais minerais e vitamina C, o umbu pode ser consumido in natura, mas ganhou novas versões e chegou ao mercado internacional, a partir das mãos dos cooperados da Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá (Coopercuc), fundada em 2004 e presente em várias comunidades do Sertão da Bahia. Com doses de conhecimento, criatividade e pesquisas, a produção cresceu e se diversificou, atualmente são 14 produtos no mercado nacional e no exterior, como Itália, França e Áustria. Doces cremosos, de corte, light, sucos, geleias, compotas e polpas, que compõem a linha Gravetero.

A linha de produtos continua crescendo e também já desenvolve delícias com manga, banana, goiaba, maracujá e maracujá da caatinga. E no próximo fim de semana, no Festival Regional do Umbu, em Uauá, mais uma novidade será apresentada e saboreada pelos participantes do evento: a cerveja artesanal de umbu, com receita e ingredientes da Coopercuc e produção terceirizada em Santa Catarina, na cervejaria da Cooperativa Agropecuária de Produção e Comercialização Vida Natural- Coopernatural.

O jovem de Uauá, Emanuel Messias Almeida, técnico em agroindústria e filho de cooperada, participou de todo processo de criação da cerveja de umbu. Foram quase dois anos de testes até chegar ao produto final. “Eu participei de um curso de aperfeiçoamento de cerveja artesanal em Blumenau , lá conheci o universo da cervejaria e pude contribuir para melhorar a receita da Coopercuc. O tempo de fermentação e maturação leva 25 dias e asseguro que as pessoas que degustarem a cerveja artesanal de umbu, sentirem seu sabor e aroma, irão imaginar ou pensar em um pé de umbuzeiro”, revela.

Parece que a fruta exótica, fruto da árvore sagrada, como disse o escritor Euclides da Cunha em “Os Sertões” tem ainda muito a ser explorada, pelos cooperados da Coopercuc, por apreciadores e paladares diversos. A produção anual em Uauá, Curaçá e Canudos chega a 200 toneladas de geleia, compotas e doces de umbu e de outros produtos típicos da caatinga. Ah, e para quem ama essas iguarias, mas vive de olho na balança, a Coopercuc investiu também em produtos light, o doce cremoso de umbu light, por exemplo, é uma boa pedida para se deliciar e manter a forma, rico em vitamina C e menos açúcar.

Além dos produtos tradicionais, as mulheres do sertão não páram de experimentar e reinventar. Outras receitas criativas vêm surgindo, como o bolinho de umbu, sorvete, biscoitos, nego bom, umbuzada e tantas outras. A percepção da nutricionista paulista Neide Rigo, que já participou mais de uma vez do Festival do Umbu, descreve bem o sabor exuberante e marcante do umbu e seus derivados: "Toda a Caatinga parece estar resumida e suavizada ali naquela delicadeza brilhante, fragrante e doce”.

Festival

O Festival Regional do Umbu em Uauá é organizado pela Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá – COOPERCUC e tem a missão de fortalecer e dar visibilidade às ações e produtos da agricultura familiar, desenvolvidos no semiárido baiano. O evento também tem a parceria do Governo Federal, Governo do Estado da Bahia, Banco do Nordeste, Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), Embrapa, Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), PRÓ-SEMIÁRIDO, Procasur, Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropria (IRPAA) e Prefeitura Municipal de Uauá.

Esta edição do Festival tem como tema o “Ano Internacional das Leguminosas”, trabalhado pela Organização das Nações Unidas (ONU) e Organização para a Alimentação e Agricultura das Nações Unidas (FAO), em todo o mundo. A programação oficial, nos dias 29 e 30 de abril, na praça principal de Uauá, conta com Feira de Economia Solidária e Agricultura Familiar e a presença de expositores da Bahia e também do Sul e Centro-Oeste do país. Serão mais de 40 stands com doces, geleias, compotas, biscoitos, cachaças, cerveja, artesanato e cosméticos produzidos com matéria-prima da caatinga, como o umbu, maracujá, maracujá da caatinga, mandacaru, entre outros.

Também haverá apresentações culturais, como concurso de aboiadores, cordel da juventude, contadores de causos do sertão e shows musicais com Canindé, Nilton Freitas e Gogó ( Roberto Malvezzi), Renan Mendes, Cláudio Barris e Roberto Dantas. A expectativa da organização é reunir cerca de 40 mil pessoas no festival. 

+ Comunicação 

Parque Tecnológico é coleta de lixo eletrônico

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Outras cidades

Eduardo MoodyQuem deseja descartar itens velhos ou inutilizados de informática, a exemplo de monitores, estabilizadores, cartuchos e mouses, pode se dirigir ao Parque Tecnológico da Bahia, vinculado à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado (Secti). Desde outubro do ano passado, o local se tornou um dos pontos de coleta de lixo eletrônico da capital baiana, recolhendo quantidades significativas de material, que são, posteriormente, reciclados.

O material é depositado em uma caixa coletora instalada na recepção do Tecnocentro, principal edificação do Parque, em horário comercial (8 às 18h), em dias úteis. Mensalmente, o lixo eletrônico acumulado é encaminhado para a Cooperativa de Coleta Seletiva Processamento de Plástico e Proteção Ambiental (Camapet). De acordo com a presidente da Camapet, Michele Almeida, “o procedimento possibilita que itens, antes inutilizados, se tornem novos equipamentos eletrônicos ou mesmo sejam transformados em bijuterias, colaborando com o incremento de renda dos cooperados”.

O coordenador de Gestão do Parque Tecnológico, Péricles Magalhães, destaca que entre as vocações do equipamento está a de “responsabilidade ambiental e sustentabilidade. Muitas empresas que estão no Parque lidam com Tecnologia da Informação e materiais que se tornam obsoletos rapidamente”. Péricles reforça ainda que, desde a instalação, a caixa nunca esteve vazia, demonstrando o sucesso da iniciativa. 

A ação é resultado de uma parceria entre a Coordenação de Gestão do Parque e o programa Recicle Já Bahia, iniciativa da Superintendência de Construções Administrativas da Bahia. A coordenadora do programa, Vanuza Gazar, afirma que “o equipamento é um local propício para abrigar uma caixa coletora pela natureza das atividades lá desenvolvidas”.

Além do Parque Tecnológico (R.Mundo, 121 – Trobogy), outros nove locais – a maioria no Centro Administrativo da Bahia – possuem caixas coletoras do Recicle Já Bahia. São eles: Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR); Secretaria de Desenvolvimento Urbano/Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação; Secretaria de Administração do Estado da Bahia; Governadoria; Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia (Prodeb); Agência de Fomento do Estado da Bahia (Desenbahia); Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema); Justiça Federal e Companhia Baiana de Pesquisa e Recursos Minerais (CBPM).

Novidade

A previsão é que, dentro de um mês, o Parque também passe a receber pilhas e baterias - normais e alcalinas -, consideradas lixo tóxico, pois registram presença de mercúrio (0,025%-1%). Este material, se não for descartado de maneira adequada, libera um líquido nocivo que não é biodegradável e não se decompõe, podendo causar a contaminação do solo.

 

Secom/Foto: Eduardo Moody 

Rui inaugura Nova emergência do...

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Outras cidades

 Hospital Ernesto Simões dobra número de vagas
 
simoesO Hospital Ernesto Simões, a partir desta segunda-feira (25), terá uma emergência com o dobro da capacidade de vagas oferecidas atualmente. Somente nos leitos, a oferta passou de 17 para 35 leitos para pacientes com diferentes necessidades, variando desde os casos que precisam de observação e medicação até os mais graves, com necessidade de cirurgia imediata e internação da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital. 
 
A reforma e ampliação da emergência, além de ampliar o atendimento, melhoram o conforto dos pacientes e também as condições de trabalho dos mais de 100 funcionários que trabalharão diretamente no espaço. O novo setor do hospital da rede estadual de saúde, localizado no bairro do Pau Miúdo, em Salvador, será inaugurado pelo governador Rui Costa às 8h30 desta segunda. 
 
Ocupando uma área de 200m² construídos, a nova emergência foi montada com equipamentos inteiramente novos e modernos depois de receber cerca de R$ 6,7 milhões de investimentos. Segundo o diretor geral do Hospital Ernesto Simões, o médico Luís Carlos Galvão, a novidade não é só a estrutura física, mas a logística de atendimento que foi pensada para otimizar e reduzir tempo de espera, além de oferecer mais conforto, com mais espaço e reunindo todos os atendimentos, incluindo realização de exames, num só lugar.
 
“A antiga emergência não existirá mais, criou-se uma nova estrutura com a qualidade que a torna uma das melhores emergências do estado. A população do distrito da liberdade ganhou esse equipamento que vai ajudar principalmente os pacientes mais graves, porque esse é prioritariamente um hospital de urgência e emergência. Não haverá macas, nem atendimento nos corredores, porque temos um equipamento pronto receber a nossa demanda”, falou o diretor geral.
 
Para a realização da ampliação e reforma, a emergência atual não parou e passou a funcionar em uma estrutura de contêineres montada na área do hospital. A expectativa é que a transferência desses pacientes comece na segunda-feira, logo após a inauguração, e na terça-feira, os novos pacientes já sejam recebidos no espaço novo, aberto todos os dias da semana, 24 horas por dia. Na unidade haverá atendimento médico das especialidades de clínica geral, vascular e traumato-ortopedia.
 
 

Secom/Fotos: Carol Garcia 

Bandidos invadem BB em Barreiras

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Outras cidades

barraNa madrugada desta sexta-feira (22), bandidos invadiram a agência do Banco do Brasil, incendiaram um caminhão e bloquearam o acesso de Barreiras a Barreirinhas, via ponte Ciro Pedrosa.  Um veículo também foi incendiado nas proximidades do Km 30, na rodovia que liga Barreiras a Luís Eduardo para impedir a passagem da CIPE-CERRADO.

O líder do DEM na Assembleia, Pablo Barrozo, afirmou que o “Complexo Policial na cidade está desabando, quase todos os meses são registradas fugas em massa e a nova unidade prisional que foi construída e que o governo prometeu inaugurar no 2º semestre de 2015 está só na promessa até hoje.”

“O governo do Estado gasta mal os recursos públicos. No ano passado investiu 38 milhões em propaganda, enquanto em segurança pública investiu apenas R$ 9 milhões, o equivalente a 2,84% do orçamento anual destinado à pasta. Além disso, o governador ainda não solucionou o problema dos policiais civis que reivindicam a nomeação do concurso feito em 2013. Mas, nos últimos dias, o governador Rui Costa se dedicou a uma causa perdida, ao ficar contra a sociedade brasileira e tentar barrar o impeachment da presidente Dilma, em detrimento dos problemas graves do estado. Felizmente, Rui Costa perdeu mais esta. Quem sabe agora, quando a presidente Dilma está com os dias contados no Palácio do Planalto, Rui Costa começa a olhar mais para a Bahia”, disse Barrozo.

Ascom do Deputado Pablo Barrozo