Dom Beto Reis divulga nomeações e transferências de Padres para 2018

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Outras cidades

TRANSFERÊNCIAS E NOMEAÇÕES  PARA 2018

17861606 735810426596312 4170675747865487503 nDepois de conversas pessoais marcadas por um discernimento à luz da fé e da missão própria dos presbíteros, o que inclui a missionariedade e a itinerância, ouvindo o parecer do Conselho Presbiteral e considerando o bem dos fiéis, Dom Beto Breis, nosso bispo diocesano, houve por bem determinar as seguintes nomeações e transferências:

  • PADRE EDCARLOS DE SENA– da Paróquia Sant’Ana, de Santana do Sobrado, para a Paróquia São João Batista de Uauá, como Vigário Paroquial.
  • PADRE AMÂNCIO VIANA DE SENA– da Paróquia São José Operário, de Casa Nova, para a Paróquia Sant’Ana, de Santana do Sobrado, como Pároco.
  • PADRE JOSÉ BENEDITO ROSA– da Paróquia Nossa Senhora do Rosário, de Remanso, para a Paróquia São José Operário, de Casa Nova, como Pároco
  • .
  • PADRE ALUÍSIO ALVES BORGES – da Paróquia São José Operário, de Casa Nova, para a Paróquia Nossa Senhora do Rosário, de Remanso, como Pároco.
  • PADRE CÍCERO DIEGO MONTEIRO MACHADO – da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, de Juazeiro, para a Paróquia Nossa Senhora de Fátima, de Juazeiro, como Pároco. 
  • PADRE JOÃO BORGES SANTOS FILHO – depois de um ano de Formação Permanente, para o SETOR PASTORAL DE PAU A PIQUE, no município de Casa Nova, como Vigário Paroquial.
  • PADRE JODEAN AMÂNCIO DOS SANTOS – em razão do seu serviço de formador dos seminaristas da etapa do Discipulado (Estudos Filosóficos) e de animador da Pastoral Vocacional de nossa Diocese deixará a função de Vigário da Paróquia Bom Jesus da Boa Morte e São Benedito, de Curaçá.
  • SEMINARISTA MIRRAIL VARJÃO MENEZES – concluídos seus estudos teológicos fará seu estágio pastoral na Paróquia Bom Jesus da Boa Morte e São Benedito, de Curaçá.

Segue, abaixo, um sugestivo texto para nosso estudo e reflexão nestes tempos de mudanças e novas perspectivas em algumas paróquias  de nossa Igreja Local:

PARA QUE FAZER TRANSFERÊNCIAS

(Dom José Carlos Campos, Bispo de Divinópolis-MG)

Por que o Bispo precisa transferir padres? Esta pergunta, olhando as reações a essa prática comum na Igreja, poucos se fazem ou buscam respostas. Normalmente ficam em posturas mais afetivas ou possessivas: “nosso padre”, “ele estava bem aqui”, “ele não pode sair”, “o senhor não pode tira-lo de nós”… Apesar de haver também os que querem ver longe o padre que têm e apresentam até listas de “queremos estes”. Este tempo é sempre de fadiga e de caras feias. Mas de aprendizado e de graça!

Vamos jogar alguma luz sobre isso! O Bispo não transfere porque tem prazer em fazer isso, porque simplesmente “faz parte” ou porque quer exercitar sua capacidade de reorganizar a diocese a cada ano. Antes de reclamar ou reagir, pense nestas palavras:

  • A transferência não é um ato arbitrário e autoritário que recai e pesa sobre a pessoa do bispo. As decisões e transferências são pensadas e construídas num conselho de padres, demandam longas conversas e, às vezes, várias reuniões. Não estamos brincando com pessoas. Os padres são colaboradores indispensáveis e preciosos do bispo, que não tem de cuidar desta ou daquela paróquia, mas de todas, ao mesmo tempo. Todas as transferências foram conversadas, construídas com cada padre. Ninguém foi transferido “a ferro e fogo”, acorrentado e arrastado. Até isso, é bom não esquecermos, pois Jesus o previu a Pedro (Jo 21,15-19). Acerca dos transferidos, houve uma ou mais propostas, uma justificativa, um convite, uma decisão tomada a dois ou a três. Sei o quanto é difícil transmiti-la ao povo, mas ela não foi impositiva e vertical.
  • Normalmente, e isso é humano e bom, criam-se amizades fortes e importantes com o padre durante o tempo, curto ou longo, de permanência, mas não se pode esquecer que o padre não é “seu” ou “nosso”, mas é da Igreja, da Diocese e colaborador do bispo. Isso não é arbitrário, é da natureza da nossa vocação sacerdotal e episcopal.
  • A justificativa de o padre ser bom e querido, ter pouco tempo ali, ter feito bons trabalhos, tudo isso é louvável, mas os critérios são mais abrangentes. A vida paroquial é um leque de responsabilidades, competências e interlocuções. Ninguém é bom em tudo (ou poucos são bons em tudo!). Daí a necessidade de se avaliar a permanência ou não por critérios que ultrapassam o afetivo e o prático. A vida paroquial, sobretudo para os que estão sozinhos numa paróquia, exige múltipla atenção e variada atuação por parte do padre. Aprender isso é um caminho. Nem sempre feito no lugar onde o padre se encontra no momento.
  • É mais fácil apresentar o pedido de transferência quando a permanência já se esticou e até ultrapassou tempos legais. A mudança fará bem a todos, ao padre e à comunidade. Isso obriga a repensar relações, modos de servir e processos novos. Ninguém goza de estabilidade indefinida, nem os bispos! Prazos ajudam a gente a rever muitas posturas, manias e relações.
  • Há também a postura fechada que assegura que a paróquia “nunca será a mesma” se o padre sair. Nem a paróquia nem ninguém é o mesmo nunca. Cada dia, cada pessoa, cada situação põem acréscimos novos (bons ou maus). Como posso saber que o outro que vem é, por antecipação, incapaz de continuar e fazer avançar um processo iniciado? Não é precipitação e preconceito? Vidas e relações experimentamos não a partir de fora, mas a partir de dentro.
  • Se um determinado sacerdote é dotado de muitas qualidades e competências a ponto de trazer grandes alegrias e avanços a uma comunidade, ele não pode ser possuído por esta comunidade como um “bem inalienável”. Outros lugares precisam dele e dos seus dons. Ele pode ser o pastor que a comunidade vizinha precisa em vista de suas demandas pastorais, espirituais, administrativas, humanas…
  • A última coisa, mesmo tendo ainda outras considerações, é que nós, padres diocesanos, não estamos desobrigados da dimensão missionária da nossa vocação sacerdotal. Por mais que eu tenha meus gostos e meu perfil, não posso me limitar ao universo de duas ou três paróquias que “teriam meu estilo”. A missão se vive em tempos e modos diferentes. Numa paróquia com a qual eu me identifico menos, talvez não fique tanto tempo como numa outra mais conforme meu perfil, mas isso não me dispensa de pequenas experiências. Elas têm uma força de testemunho diante do povo de Deus, dos demais irmãos padres e dos seminaristas.

Diocese de Juazeiro

Coelba alerta para cuidados com a iluminação de Natal

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Outras cidades

Além de prevenir de acidentes, o consumidor deve adotar hábitos conscientes de consumo para evitar desperdícios e economizar na conta de energia.

img como guardar uma arvore de natal artificial 4467 origHora de pensar na decoração de Natal. Nas lojas, ruas e residências, as lâmpadas coloridas e efeitos luminosos começam a dar à cidade o clima da festa cristã, comemorada nos quatro cantos do planeta. Artigos de iluminação para fachadas de imóveis e ambientes internos são os enfeites mais procurados e comercializados nesta época do ano. Novo ou reaproveitado de anos anteriores, o tradicional pisca-pisca requer atenção especial. Para prevenir acidentes, a Coelba, empresa do Grupo Neoenergia, alerta para cuidados importantes ao adquirir, instalar e manusear a decoração luminosa.

Os cuidados devem começar já na escolha dos produtos. Os adornos devem ser de boa qualidade e, obrigatoriamente, certificados pelo Inmetro. As embalagens dos enfeites com lâmpadas devem conter informações como potência,  tensão de alimentação  e instruções de uso. No caso das árvores de Natal, é importante procurar pela etiqueta “Resistente ao Fogo”. Essa medida  preventiva pode evitar um incêndio, na eventualidade de um curto-circuito.

No caso dos enfeites luminosos, a informação sobre a potência do produto, dada em watts (W) e contida na embalagem, merece atenção, pois quanto maior a potência maior também será o consumo de energia. Um conjunto padrão de 100 micro-lâmpadas, com 50 W de potência, consome 16,5 kWh/mês, se ligado por 11 horas diárias. Neste caso, a dica é reduzir o tempo de uso. Se forem ligadas por 5 horas, das 19h à meia-noite, o consumo dessas lâmpadas cai para 7,5 kWh/mês. Outra opção de economia é dar preferência às lâmpadas de LED, que são mais eficientes, brilhantes e com maior durabilidade que as convencionais. O hábito consciente de consumo evita desperdícios e proporciona economia na conta de energia.

Antes de decorar a residência, é aconselhável também fazer uma revisão nas instalações elétricas, com um eletricista capacitado. Atenção também para fios desencapados, com a parte metálica aparente. A capa de proteção evita choques e fuga da corrente elétrica. E as precauções não param por aí. Também é importante verificar as condições do material que será instalado: aquele pisca-pisca comprado em anos anteriores pode ter sofrido algum tipo de  desgaste.

A Coelba alerta ainda que o uso de várias ligações em uma mesma tomada, através do chamado “T” (benjamins), pode provocar aquecimento e curto-circuito e dessa forma interromper o fornecimento de energia elétrica. Se o incidente ocorrer próximo a materiais inflamáveis (cortina de tecido, papelão, fibras, isopor e etc.), pode provocar incêndio. Além dos riscos, o aquecimento da tomada também gera perda de energia e por conseqüência o aumento na fatura.

Outra dica é quanto à montagem da árvore. É importante evitar o uso de luzes elétricas e piscas decorativas em estruturas de metal. Elas podem conduzir energia e provocar choques  elétricos. As luzes não devem estar próximas de enfeites produzidos com papel ou cartolina. Ao manusear a instalação natalina é preciso certificar-se ainda de que ela está inteiramente desconectada das fontes de alimentação de energia. Os equipamentos só devem ser ligados depois que a montagem estiver concluída. Após isso, deve-se evitar tocar na fiação ou substituir lâmpadas queimadas.

Recomenda-se cuidado redobrado ao usar pisca-pisca em áreas externas das residências, pois pode agravar os riscos de acidentes. Por estar mais vulnerável ao calor e à chuva, há mais riscos de choque elétrico e curto-circuito. A ação do tempo pode ressecar a fiação e a presença de água potencializa os efeitos da condução da corrente elétrica pelo corpo humano. Em hipótese alguma, a iluminação deve ser feita por crianças ou pessoas inabilitadas. O serviço deve ser realizado por um profissional capacitado, evitando, dessa forma, o risco de acidentes, além da possibilidade de quedas das escadas. 

O consumidor deve lembrar ainda que a decoração desperta a atenção das crianças que tendem, naturalmente, a querer tocar nos enfeites. Importante também não se esquecer de desligar toda a decoração elétrica ao sair de casa. Outra recomendação é não instalar objetos decorativos próximos à rede de distribuição de energia.

  Principais dicas:

  1. Certifique-se de que o material comprado é atestado pelo Inmetro.
  1. Faça revisão dos fios decorativos e piscas antes da instalação, principalmente se for reaproveitar o material do ano anterior.
  2.  Ao comprar uma árvore procure a etiqueta “resistente ao fogo”.
  3. Não utilize enfeites de papel em árvores com iluminação elétrica.
  4. Desligue os aparelhos e enfeites de Natal ao sair de casa ou na hora de dormir. Esta prática evita acidentes e o consumo desnecessário de energia.
  5. Nunca desligue aparelhos elétricos puxando pelo cabo ou fiação. Para desligá-lo da tomada, utilize o plugue.
  6. Prefira enfeites de lâmpadas LED, pois são mais econômicos.
  7. Dê preferência aos enfeites impermeáveis, pois são mais seguros, têm maior durabilidade e podem ser reaproveitados nos próximos anos.
  8. Evite deixar a instalação em área sujeita a chuva ou alagamento.
  9. Mantenha a fiação fora do alcance das crianças.
  10. Não instale o conjunto de lâmpadas em estrutura metálica.
  11. Siga corretamente as instruções do fabricante do produto.
  12. Não ligue as luzes em extensões e benjamins (“T”).
  13. Não faça ligações clandestinas de energia para a iluminação natalina. Além de sobrecarregar o sistema, elas representam risco de curto-circuito, acidentes graves e é crime previsto no Código Penal Brasileiro.

Sobre a Coelba 

A Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba), empresa do Grupo Neoenergia, é a terceira maior distribuidora de energia elétrica do país em número de clientes e a sexta em volume de energia fornecida, sendo a maior do Norte-Nordeste. Presente em 415 dos 417 municípios baianos, a Coelba tem uma área de concessão de 563 mil quilômetros quadrados. A empresa tem 5,9 milhões de clientes (mais de 15 milhões de habitantes).

Jezer Pachêco Vilas Bôas

Gestor da Unidade de Atendimento de Juazeiro

Estudantes do interior já estão em Salvador...

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Outras cidades

...para participar do 5º Encontro Estudantil da Rede Estadual.

1510953063DSC 0098Os estudantes do interior já estão chegando em Salvador para participar, dos dias 21 a 23, do 5º Encontro Estudantil da Rede Estadual, que será realizado, das 8h às 18h, com entrada gratuita, na Arena Fonte Nova. O encontro, promovido pela Secretaria da Educação do Estado, reunirá mais de 4 mil estudantes criadores, que irão apresentar projetos de arte, ciência, cultura, esporte, tecnologia, empreendedorismo e inovação desenvolvidos nas escolas durante o ano de 2016.

Nesses dias que antecedem o encontro, os estudantes participam de oficinas e ensaios preparatórios. Este é o caso dos alunos, que após participarem das etapas escolares e das seletivas territoriais, já estão na capital para a culminância do 9º Festival Anual da Canção Estudantil (Face) e do 8º Sarau do Tempos de Artes Literária (TAL). Os 16 finalistas do Face e os 38 do TAL estão hospedados no Hotel Vila Velha, no Corredor da Vitória, onde foram recepcionados e participaram de uma roda de conversa na noite desta quinta-feira (16).

Durante toda esta sexta (17), os estudantes finalistas começaram os cursos e oficinas de preparação da voz e tiveram aulas de canto, de expressão corporal, leitura dinâmica e de direção artística. Os finalistas do TAL irão se apresentar na terça (21), das 16h às 19h, no nível 6. Já o Face será na quinta-feira (23), no palco do nível 3, da Arena Fonte Nova, a partir das 17h.

Segundo a professora de leitura criativa, Cláudia Santos, é na preparação que o estudante descobre a melhor maneira de expressar o texto. “Nessa primeira etapa, nós estamos fazendo o acolhimento dos alunos e conversando sobre a trajetória e a identidade deles como escritores. Em seguida, vamos trabalhar com escrita e leitura criativa, porque aqui é a hora em que cada aluno vai encontrar a melhor maneira de expressar seu texto e, também, de potencializar a literatura que ele vem trazendo da sua cidade”, afirma

A professora acrescenta que a arte literária dos estudantes é surpreendente. “A diversidade dos textos é a mais incrível que você possa imaginar. Nós temos desde a literatura regional, no que diz respeito aos cordéis, bem como textos inspirados na Europa do século XVIII, crônicas, textos poéticos, contos, fragmentos de romance. São textos muitos diversos”.

Os exercícios de técnica vocal e respiração ficam por conta da professora de canto, Manuela Rodrigues. De acordo com ela, a atividade é essencial para melhorar a performance vocal e a interpretação. “Esse trabalho de preparação é feito durante uma semana até a culminância. Meu trabalho é destravar, soltar, potencializar o que eles já têm vocalmente, que é aquele terreno de segurança deles, e, também, incentivar que aquela parte mais frágil seja trabalhada para fortalecer”, explica. 

Programação 

No sábado (18), domingo (19) e segunda-feira (20), a programação segue com as atividades no hotel, com o Grupo Geling e a professora de expressão corporal e direção artística, Débora Landim. Os finalistas do Face ainda realizam ensaios e gravações no estúdio Pracatum, com Luciano Bahia.
 

Secom Bahia

Campo Alegre de Lourdes leva água encanada para zona rural

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Outras cidades

aguacacimbanovaA Prefeitura de Campo Alegre de Lourdes, em parceria com o Governo do Estado, entregou na última terça-feira (14/11), um Sistema Simplificado de Abastecimento de Água, que beneficiará 44 famílias de Cacimba Nova (zona rural) e comunidades vizinhas.  A intervenção realizada pela Companhia de Engenharia Hídrica e de Saneamento da Bahia (CERB), com o convênio do Funcep (Fundo de Combate e Erradicação da Pobreza), possibilitará a população, o acesso a água de qualidade e em abundância.

Os moradores receberam para uma comemoração, o prefeito municipal Dr.Enilson, secretário de Agricultura e Recursos Hídricos Maruzinho dos Passos (Mazim), superintendente de Agricultura Aumari dos Passos, secretário de Fazenda Jilaesso Mendes, secretário de Meio Ambiente e Ordenamento Urbano José Palmeira Macedo, assessor especial Edizangelo Dias e o amigo Élcio. O Sistema será administrado pela Prefeitura Municipal, que ficará responsável pela sua manutenção, isentando os moradores de despesas futuras, além de custear gastos com funcionários, energia, etc.

Na ocasião, o prefeito Dr.Enilson ressaltou a importância da qualidade da água para o consumo humano e, citou que esta obra é uma entre várias que serão entregues pelo Governo do Estado. Entre as localidades que possuem obras de Sistema Simplificado em andamento, estão Lagoa dos Bois, Folha Larga, Pau de Birro e Baixão Seco. “Quando a água de qualidade chega, a vida das pessoas melhora”, avalia Dr.Enilson.

De acordo com o secretário de Agricultura e Recursos Hídricos Maruzinho, o Sistema é de grande importância, uma vez que beneficia Cacimba Nova e comunidades vizinhas e oferece melhor qualidade de vida. O secretário evidenciou que a concretização da obra foi possível, devido ao empenho do prefeito Dr.Enilson, que pleiteou junto ao Governo do Estado.

Dados técnicos – Cacimba Nova

A CERB construiu um poço artesiano com vazão de mais de 11.000 mil litros/horas e 1 RED (Reservatório Elevado de Distribuição) de 9 metros de altura e 4.500 metros de tubulação. A água é tratada e a potabilidade comprovada pelos órgãos competentes.

Ascom Campo Alegre de Lourdes

Parceria com o Hospital de Barretos vai ampliar rastreamento de câncer de mama e de útero na Bahia

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Outras cidades

parceria barretos bahiaDurante inauguração da Policlínica Regional do Extremo Sul, nesta sexta-feira (17), em Teixeira de Freitas, o governador Rui Costa anunciou que foi firmada uma parceria com o Hospital de Barretos (São Paulo) para instalação de equipamentos de rastreamento de câncer de mama e de útero. "Além do mamógrafo que temos aqui na policlínica, vamos instalar um novo que faz biópsia e deixar uma carreta dedicada a atender os 13 municípios do consórcio da região, com exames de rastreamento", revelou o governador.

Segundo Rui, todas as policlínicas construídas pelo Governo do Estado vão contar com o reforço da carreta para rastreamento de câncer de mama e de útero, que vai circular pelos municípios. "Quero ter o orgulho de a Bahia ser número um, quando o assunto for rastreamento e prevenção de câncer de mama e de útero, através da parceria entre as policlínicas e o Hospital de Barretos", enfatizou.   

A Policlínica Regional do Extremo Sul foi entregue na manhã desta sexta-feira pelo governador, que até o final do ano vai entregar também as policlínicas regionais que funcionarão em Guanambi, Irecê e Jequié, para atender aos municípios consorciados do seu entorno. A próxima inauguração acontece no dia 24 deste mês, em Guanambi, para atender a grande parte da região sudoeste do estado. As outras duas entrarão em funcionamento em dezembro. Além das policlínicas, o Governo do Estado vai colocar em operação, até o fim do ano, os Hospitais do Cacau, em Ilhéus, e o Hospital Regional das Chapada, em Seabra.

Secom Bahia Foto: Mateus Pereira/GOVBA