Malandros já começaram saquear SENTO-SÉ

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Sento-sé

prefeiturasento sé"É grande a quantidade de pessoas preocupadas com a retirada de bens públicos municipais: escolas; equipamentos; acessórios de diversos setores da estrutura governamental estão sendo roubados, por pessoas viciadas pelo Sistema Político tradicional, e acabam achando que os bens públicos são coisas de qualquer um, ou de ninguém!... O prejuízo para a sociedade está ficando muito grande!

Segundo comentários de populares, alguns deduzem que o furto é para compensar dívidas deixadas pelo gestor. Outros casos são mesmo pelo mal hábito da cultura antiga da corrupção. Há também a pirraça de quem quer atingir aos adversários políticos – criando dificuldades para o novo governo, e, acabam cometendo crime. Em janeiro de 2001, primeiro mês de governo de Juvenilson, a Blazer do gabinete do então prefeito Ednaldo Barros, foi abandonada nas imediações do Salitre – Luiz Berti que era prefeito de Sobradinho, a viu, rebocou e ligou avisando.

Ainda bem que a prefeita eleita Ana Luiza Passos, o líder Juvenilson Passos e seu grupo estão certos da importância e necessidade de se contratar uma Auditoria Pública, para depois pegar o resultado e buscar incriminar judicialmente a todos os culpados - do maior ao menor!... A natureza corrupta de uma grande parte da população do nosso município denuncia um “Sistema Político Social” de cultura desonesta, oportunista, criminosa, individualista, egoísta, violenta, irresponsável, e que tem atrapalhado bastante o processo de desenvolvimento municipal!

O município de Sento-Sé será com certeza, palco de noticiário nacional, prisões, processos, por conta da corrupção, mesmo, que figuras do importante Poder Judiciário – do município a Brasília, tenham “falhado”, costumeira e vergonhosamente, com casos relacionados com a nossa vida comunitária!... Mas, “quem viver verá”!

Laurenço Aguiar – Comitê 9840 de Combate a Corrupção...

Fechado o único hospital de Sento-Sé (BA)

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Sento-sé

DSCF4812Moradores do município de Sento-Sé, norte da Bahia, denunciam o fechamento do Hospital e Maternidade Dr. Heitor de Sento-Sé (BA), por falta de médico. Além da deficiência na estrutura, equipamento, remédios e funcionários com salários atrasados

Os profissionais que estavam na unidade de plantão não desejam se identificar, por medo de represália. “Os médicos estão faltando por falta de pagamento e salários atrasados”. “Nós estamos trabalhando com a cara e a coragem, não temos o mínimo de equipamento de segurança para trabalhar. Peço desculpa aos pacientes por muitas vezes. Nós funcionários e os pacientes tomamos água direto da torneira, sem tratamento algum. Falta tudo”, finalizou.

Segundo Maria, que trabalha na saúde do município há quase dez anos. “Nunca vi tanto descaso, falta tudo. Quando tem uma coisa, falta outra. No posto que trabalho sempre falta material de limpeza, equipamento de segurança. O pessoal da limpeza, trabalha sem proteção, não tem luva, bota, mascara, falta até saco de lixo (...) Não tem medicamento, falta remédio de pressão e diabetes”, ressalta.

“Os profissionais ficam com o salário atrasado por mais de um mês, trabalham como se fosse fazendo um favor e quando recebem salário as contas estão todas atrasadas. No hospital falta até algodão, gazes, material de curativo, seringa, e outras medicações básicas. Essa semana mesmo, os dentistas não atenderam por faltar material odontológico, como anestesia, luva e máscara”, afirma.

Normalmente os doentes são encaminhados para Juazeiro (BA), Sobradinho, Remanso e Petrolina (PE). O hospital está com equipamentos defasados a exemplo da máquina de raio X, sem qualidade na imagem, com isso não dá para identificar o problema do Paciente. Outra carência da Unidade Hospitalar é equipamento de reanimação - desfibrilador.

Heliane Santos é dona de casa e conta como foi dar à luz ao seu filho na unidade. "Os profissionais são ótimos, só que na questão de gestão está em falta. Falta lençol limpo, usei rasgado e sujo. A refeição deixa muito a desejar, só tive direito a uma refeição no primeiro dia e bem rala, sem colher descartável para comer. Os banheiros estão sem porta, os quartos com muito mofo, goteira, cama enferrujada e até com apoio para ficar reta. Os funcionários atendem pedindo desculpa pelas péssimas condições do hospital ", concluiu.

Luciana Almeida Ribeiro, Técnica de enfermagem, está revoltada com as condições da saúde no município. “A realidade da saúde do nosso município é mais grave do que imaginamos, falta profissionais para trabalhar em todos os setores tanto na urgência como na prevenção. Temos um número muito grande de adolescentes gestantes que tem muitas doenças sexualmente transmissíveis, e consequentemente as crianças nascem com algum problema”, desabafou.

“Atualmente trabalho na sala de vacina, não temos carros disponível para trabalhar no interior, muita criança não tem acesso a vacina. Temos um número pequeno de agentes de endemias, onde há muitos casos de doenças transmitida por mosquito através de água parada, animais domésticos e barbeiros, muitos casos de hepatite nas escolas principalmente por falta de um banheiro adequado, muitas crianças com problemas de aprendizagem por falta de alimentação como merenda escolar, as crianças não têm como acompanhar com fome”, exaltou.

Luciana Almeida destaca que falta médico sempre, “no hospital os médicos abandonam o plantão por falta de pagamento. Os profissionais que trabalham no regime plantonista reclamam da alimentação porque não é suficiente para todos. Os profissionais de limpeza que trabalham a noite dormem em depósito, sem nem um conforto”, finalizou.

Por Tâmara Tárcia/Foto: Divulgação

Novo complexo eólico vai gerar 1,2 mil...

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Sento-sé

...empregos no norte da Bahia.

1472069068IMG 8510A construção de um complexo eólico em Umburanas e Sento Sé, no norte da Bahia, vai gerar 1,2 mil empregos diretos na fase de implementação. O governador Rui Costa e o presidente da Engie Brasil Energia, Eduardo Sattamini, assinaram o protocolo para o início das obras nesta quarta-feira (24), na Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador. Com um investimento de R$ 1,7 bilhão, as obras do Complexo Campo Largo começam em setembro.

De acordo com Rui, os investimentos em energia eólica transformam o semiárido baiano. “Um exemplo é a cidade de Caetité, que se transformou com a energia eólica. Os hotéis duplicaram de tamanho, surgiram novas pousadas, restaurantes e lojas; a cidade mudou o perfil. A região norte também vai passar por essa transformação positiva. Nós já temos em Jacobina uma fábrica de torres. E a nossa combinação é que todo o serviço contratado, inclusive de construção civil, seja da Bahia, desde que dentro de uma relação de preço compatível com o mercado”.

O governador lembra ainda que a Bahia tem potencial para produção de energia alternativa a partir de diversas fontes. “A Bahia, além de ser de todos os santos, é também de todos os ventos. Temos também investimentos na energia solar, que dá os primeiros passos, e é outro vetor importante de desenvolvimento do semiárido. Estamos trabalhando ainda no litoral, com outra possibilidade, que são as termelétricas. A Bahia, portanto, tem o petróleo, o vento, o sol e o gás. Nós queremos explorar isso para gerar emprego e renda”.

Segundo Sattamini, o complexo começa a funcionar em junho de 2018. “Houve a venda desse complexo no mercado regular, para as distribuidoras, e o nosso compromisso é que, a partir de primeiro de janeiro de 2019, a gente tenha os contratos remunerando essa energia. A maior parte da mão de obra começa a ser treinada já desde agora”, explica o presidente da Engie Brasil Energia.

Na primeira das três fases do projeto, serão 326 megawatts de capacidade instalada, com 121 aerogeradores. Atualmente, a Bahia é o segundo maior estado brasileiro em produção de energia eólica, com 68 usinas em operação. O Governo do Estado trabalha para assumir a liderança nacional desse setor até 2020. “O apoio do Estado é fundamental para que a gente tenha tranquilidade para empreender, consiga as licenças necessárias e o diálogo com as comunidades”, acrescenta Sattamini.

O presidente da Engie Brasil Energia destaca ainda as características geográficas favoráveis da Bahia. “O potencial eólico e solar da Bahia é muito grande e há alguns anos nós pesquisamos áreas para empreender. Hoje nós temos uma área grande no Complexo Campo Largo, onde estamos começando a fase número um”.


Secom/Foto: Carla Ornelas/GOVBA 

Fazenda Esmeralda vai a leilão dia 15/07‏

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Sento-sé

0O imóvel rural denominado Fazenda Esmeralda, com 272 hectares, avaliada em R$ 300.000,00 (trezentos mil reais) de propriedade do Prefeito de Sento Sé(BA), Ednaldo dos Santos Barros e a Empresa Editora a Tarde – Jornal a Tarde, vai a leilão no dia 15 de julho de 2016 em 2ª chamada, com lance mínimo de R$ 180.000,00 (cento e oitenta mil reais).

A propriedade é objeto da Ação de Execução nº 0000097-60.2008.8.17.1130, que tramita na 1ª Vara Cível da Comarca de Petrolina/PE.

Data, Horário e Local da Hasta Publica: 15 de Julho de 2016, às 9:00 horas, no Fórum Desembargador Osvaldo Nunes Sento Sé, situado na Praça Coronel João Nunes Sento Sé, Centro, Sento Sé/BA.

Para mais informações baixe o Edital do Leilão da Fazenda Esmeralda em Sento Sé

Sento Sé em Foco/Foto: Divulgação

 

 

Sento-Sé comemora 184 anos de emancipação

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Sento-sé

sento seO município de Sento-Sé (BA), a 689 km da capital do estado comemora nesta quarta-feira (06), 184 anos de emancipação política. Localizado no Norte da Bahia, às margens do lago de Sobradinho, na região do São Francisco, a cidade é cercada de um lado pelo Velho Chico e do outro por serras. Possui a terceira maior extensão territorial do estado, com 12.871 km2, e uma população estimada em 41.464 habitantes (IBGE).

Nos primórdios, a cidade foi um aldeamento indígena da tribo Centoce, da qual originou o nome Sento-Sé. A emancipação foi em 06 de Julho de 1832, por decreto imperial. A primeira sede municipal inundou em 1976, por causa da construção da Barragem de Sobradinho. A nova Sento- Sé foi erguida a 80 km de distância, e aos poucos foi sendo habitada pelos moradores da antiga sede, que submergiu às águas. A economia do município baseia-se na agricultura irrigada, agropecuária e o comércio, tendo ainda como potencial a extração de minérios.

Nas comemorações de mais um ano de emancipação política, o município faz um breve retrospecto das conquistas desta gestão na área de infraestrutura urbana como: as obras de pavimentação asfáltica do centro comercial e das ruas, construção de ginásios de esportes, praças, unidades de saúde, escolas, duplicação e urbanização da entrada da cidade.

Ascom