Curtas & Boas 09/03

Publicado em Curtas & Boas

Nacional

O PSB, que apoiou a destituição de Dilma Rousseff, divulgou que votará contra a reforma da Previdência; “Não podemos aceitar uma proposta que afronta conquistas históricas da população”, afirma a bancada, que tem 35 deputados; as informações são de Esmael Moraes

A bancada do PSB na Câmara, composta por 35 deputados, votará contra a reforma da previdência (fim da aposentadoria).

A informação é dos deputados paranaenses Luciano Ducci e Leopoldo Meyer, que distribuíram uma nota oficial na noite desta quarta (8).

“Não podemos aceitar uma proposta que afronta conquistas históricas da população”, afirmam os parlamentares socialistas.

Na noite de ontem, o Blog do Esmael registrou com exclusividade que a bancada do PMDB no Senado também adiantou que votará contra a reforma de Michel Temer (PMDB).

.............................................................

Presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa da Bahia, o deputado Joseildo Ramos (PT) acusou, nesta quarta-feira (8), o presidente Michel Temer de fazer declarações machistas em pleno Dia Internacional da Mulher. Durante evento comemorativo à data, em Brasília, Temer afirmou que "tem convicção do que a mulher faz pela casa" e de sua grande participação na economia do país. "Na economia, também, a mulher tem uma grande participação. Ninguém mais é capaz de indicar os desajustes, por exemplo, de preços em supermercados mais do que a mulher", disse o presidente.

Para Joseildo, a declaração infeliz do presidente revela a "face tacanha, retrógada e pequena" de alguém que, segundo ele, saiu das profundezas do baixo clero e foi alçado ao posto máximo do país através de um golpe parlamentar. "Não é o presidente Temer nem qualquer outro machista que dirá qual o lugar da mulher. O lugar da mulher é ela quem determina. O de Temer é fora da cadeira onde ele nunca deveria ter sentado", criticou.

O parlamentar aproveitou para condenar o texto da proposta de Reforma da Previdência, apresentado pelo governo. "Um presidente, além de ilegítimo, machista, que se apropriou do poder golpeando a primeira mulher eleita presidente e aproveitou para renegar a participação feminina em seu ministério. É esse o presidente que quer condenar as mulheres à própria sorte, retirando direitos duramente conquistados por meio de sua proposta de Reforma da Previdência", disparou.

Ao discursar no plenário da Assembleia para celebrar o dia, Joseildo criticou a PEC 287 e ressaltou a importância de garantir a regra diferenciada de idade para as mulheres, reconhecendo o preconceito de gênero existente, já que as mulheres realizam dupla ou tripla jornada, trabalhando em média 7 horas e meia a mais por semana e, mesmo ocupando o mesmo posto de trabalho dos homens, recebem 23% a menos que eles.