Curtas e Boas 13/06

Publicado em Curtas & Boas

Diante do acúmulo de dívidas de campanhas em estados como Bahia e São Paulo, o PT apresenta, durante o congresso nacional que acontece em Salvador desta quinta-feira (11) ao domingo (14), uma campanha nacional de arrecadação. De acordo com o presidente baiano, Everaldo Anunciação, o projeto será o pontapé da “vaquinha” do PT baiano, para quitar débitos da campanha de 2014, orçados em cerca de R$ 9 milhões. Para o pagamento dessa dívida, no entanto, a Bahia defende a revisão do próprio posicionamento quanto ao financiamento privado das campanhas.

“Quando nós contraímos a dívida foi dentro das regras. O PT não tinha nenhuma decisão. Óbvio que, se a decisão do congresso for de não receber mesmo as dívidas anteriores, nós vamos respeitar. Mas pode criar dificuldades para os nossos compromissos com os fornecedores. A gente não pode tomar uma decisão que tem impacto em terceiros”, afirmou.

Para o dirigente baiano, independente do resultado da reforma política – cuja modalidade de financiamento de campanha é alvo de questionamento na Câmara Federal -, as regras não devem retroagir para a campanha de 2014. “O PT deve manter sua posição, mas monitorar o processo de reforma política em curso no Brasil. E que a gente garanta que a quem nós devemos a regra possa ser a estabelecida no período”, ponderou.

Apesar de evitar criticar diretamente o governo federal – “estamos concordando e confiando na intenção da presidenta com os ajustes, que é um processo de arrumação da economia para garantir as políticas sociais”, disse Everaldo -, o diretório baiano admite que é preciso melhorar as relações do partido com a sociedade civil. “O PT tem que ter uma agenda de dialogar com a sociedade, voltada à questão da democracia, dos direitos e do desenvolvimento da distribuição de renda.

Criar debates políticos que extrapolem o PT para fortalecer os atores sociais e a sociedade civil organizada, para estar opinando e discutindo, para que sirva de base para construção dos programas de governo que nós vamos apresentar nas eleições municipais de 2016”, relata. Segundo Everaldo, outro assunto a ser defendido é a taxação de grandes fortunas “para os mais ricos participem desse processo”.

..............................................................................

Com um discurso de quase uma hora, Dilma Rousseff encerrou a abertura do 5º Congresso Nacional do Partido dos Trabalhadores perto da meia-noite. A cerimônia foi iniciada às 20h desta quinta-feira (11), no Hotel Pestana, no Rio Vermelho, em Salvador. Na abertura de sua fala, a presidente cumprimentou todos os presentes um por um, enfatizando a importância de cada um deles para o partido e seu governo.

Como base do discurso, Dilma enfatizou medidas e resultados positivos dos governos do ex-presidente Lula e de seu primeiro mandato no executivo nacional, pedindo que os militantes e afiliados ao partido se lembrem sempre que “os pontos positivos é que fazem do nosso governo o melhor”. Sobre a crise econômica, Dilma se defendeu e garantiu que as mudanças acontecerão rápido.

“Nós não causamos a crise, não podemos ser responsabilizados por ela. Mesmo que agora, depois de sete anos, os efeitos comecem a nos atingir. Essa luta para proteger o brasileiro durante esse teve um alto custo fiscal. Um custo consciente e coerente porque nós temos compromisso com o trabalho que escolhemos”, comenta, sem deixar de alfinetar os partidos de oposição e prometer soluções. “Outro governo teria escolhido o caminho mais fácil: desemprega de uma vez, reduz o salário de uma vez. Nós não queríamos isso, não podíamos querer isso. Mas agora, depois de sete anos, temos que fazer duas coisas. Primeiro, uma escolha: ajustar o mais rápido possível a economia para que ela volte a crescer. Outra coisa é que nós não achamos correto ficar parados esperando o ajuste que é necessário. Precisamos investir no crescimento. Investir na indústria, agricultura, fazer com que o crescimento continue como começou. Somos mestres na inclusão social, precisamos continuar imbatíveis no que sabemos fazer”, observa.

A presidente também exaltou os aliados, garantindo que apenas agora o partido consegue ver quem está verdadeiramente apoiando o governo. “Nos momentos de calmaria não se vê direito quem é quem. Todo mundo, nos momentos de calmaria, quer ser parceiro de vitórias e realizações. Nas horas mais difíceis, quando medidas precisam ser tomadas é que sabemos com quem podemos contar. Eu preciso contar com meu partido, um partido vivo. Livre pra fazer propostas. Livre para construir e fazer críticas”, diz, aproveitando para pedir o apoio das delegações presentes.

No fim, Dilma faz uma previsão do Brasil que entregará ao próximo governante em 2019, e ainda enfatiza a cultura como fator importante para as mudanças. “Nós passaremos ao meu sucessor um país justo, livre, rico, empregado e defensor do seu sistema. Garantiremos que o nossa país seja mais democrático, em todas as áreas. O Brasil precisa muito da cultura. A cultura fala da alma da pessoa, dos anseios e futuro”, finalizou.

Curtas e Boas 10/06

Publicado em Curtas & Boas

Três dias consecutivos na cidade de Casa Nova foram bastante para colher algumas informações extra-oficiais, entre elas a de que o prefeito Wilson Cota não será candidato à reeleição para apoiar Ciro Viana prefeito e Joelma Cota, vice.

Questionado se Joelma pode ser vice, a fonte informou que sim. Se essa chapa for formada em 2016, lembre-se que Curtas e Boas estava certa quando deu a noticia faltando mais de um ano para a eleição.

A mesma fonte, disse que se o prefeito de Casa Nova fosse Ademir Cota a coisa não estava como está. O cara não concorda, e às vezes quebra até o pau com o prefeito por não concordar com a sua forma de governar.

Ontem, na sessão da Câmara, ninguém sabe o que está acontecendo, mas o líder do governo não usou a tribuna e em nenhum momento defendeu o governo.

Ademir Cota, irmão do prefeito nem ficou na sessão... Foi embora.

O presidente da Câmara, José Eduardo, nem compareceu... Muito menos o vereador Alex de Santana.

O vereador Pinto, também da base do governo, não compareceu e nem justificou a ausência.

A vereadora Maria Regina ficou até o fim da sessão, mas não deu um PIU.

A oposição que não perde tempo aproveitou a ausência de quem poderia sair na defesa do governo, e meteu-lhe a ripa. Bateu, bateu como se estivessem batendo no jegue de Luiz Gonzaga.

A crítica maior veio por conta do vereador Vanderlin que criticou bastante o governo que resolveu comemorar só últimos 39 anos do município. Quando na verdade, segundo o edil, o certo era comemora 136 anos de emancipação politica.

Os vereadores de oposição, colocaram o colega Hélber do Né numa saia justa. Pediram explicação sobre uma maquina da prefeitura doada pelo PAC 2 que estava trabalhando para a empresa de sua família e ele teve dificuldade de se explicar.

Os assessores do prefeito, Waltermário Pimentel e Ricardo Banana sentiram o drama de como a oposição bate, e foram embora.

Curtas e Boas 08/06

Publicado em Curtas & Boas

Na última sexta-feira, 05, o prefeito Isaac Carvalho inaugurou mais uma importante obra para a população.  Com 1.480 metros de extensão a Avenida Girassol foi entregue a comunidade com serviços de substituição total da rede de água, serviços de drenagem, pavimentação asfáltica, passeio, meio-fio, linha d'água e sinalização.

Os comunitários Francisco Odécio de Souza, o Chico Bito, presidente da Federação das Associações de Bairro e Cristiano Erick Pires Martins, presidente do bairro Argemiro, ressaltaram o empenho dos comunitários na busca por melhorias e a parceria com o município. "Eu estou aprendendo com o Senhor, prefeito. Quando Lula veio para Juazeiro para trazer obras, o Senhor também foi agradecer e reivindicar. O que foi que Lula disse? 'O bichinho é novo, mas já sabe pedir'. E é por isso que Juazeiro hoje tem quadras, tem creches, tem novas Avenidas, tudo por conta da sua insistência", salientou Cristiano. Ao final da fala entregaram uma lista de reivindicações. 

Juazeiro tem mais de 60% da área urbana sem pavimentação. Segundo o prefeito, desde 2009 vem tentando mudar essa realidade. "Temos diariamente buscado melhorar a vida das pessoas e acredito que quando a população reclama tem toda razão, mas estamos empenhados em atender essa demanda histórica da cidade, resultado disso é essa obra e tantas outras que já entregamos e que estão em execução na cidade", assegurou Isaac, ressaltando ainda que o projeto da Intervenção Urbana contempla ainda a pavimentação de 200 ruas. 

Estiveram presentes no ato o vice-prefeito Francisco Oliveira, o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Jorge Barboza, demãos secretários, assessores e vereadores.   

Além da Avenida Girassol, estão inclusas dentro do projeto da intervenção da poligonal urbana do PAC 2 as avenidas Giuseppe Muccini, em Piranga, a Irmã Dulce II, na Malhada da Areia, a Cristalina, no Argemiro/Codevasf, a Travessa da Codevasf, em Piranga, e a Irmã Dulce I, no Alto da Aliança, que já foi entregue.

..................................................................................................

Para CGU, empresas investigadas na Lava Jato podem participar de concessões

O ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Valdir Simão, disse nesta segunda-feira, 8, que não há por enquanto impedimento para que empresas investigadas na Operação Lava Jato participem do novo pacote de concessões em infraestrutura, que deve ser anunciado amanhã pelo governo.

“Tecnicamente não há impedimento para que elas participem do processo licitatório. Sendo punidas é que elas ficariam impedidas”, explicou o ministro ao participar do lançamento de uma consulta pública sobre corrupção.

Simão lembrou que, embora haja atualmente 29 processos de responsabilização de empresas no âmbito da Operação Lava Jato, ainda não houve nenhuma declaração de inidoneidade, o que, de fato, impediria a contratação com o poder público.

Para o ministro, é possível que algumas dessas empresas venham a participar de algum dos processos de concessões já que parte dessas empresas atuam no âmbito de infraestrutura e logística. Contudo, o ministro lembrou que o que deve acontecer amanhã é apenas o lançamento do programa. “Os processos licitatórios não começam amanhã. Cada processo tem uma história diferente”, lembrou.

Está previsto para esta terça-feira o anúncio de uma nova rodada de concessões em infraestrutura, nas áreas de portos, aeroportos, rodovias e ferrovias.

O dirigente da CGU participou de evento no Ministério da Justiça em Brasília, que lançou um edital de consulta pública sobre corrupção.

Os órgãos que compõem um grupo de trabalho formado no início do ano – Ministério da Justiça, Advocacia-Geral da União (AGU), CGU, Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

O grupo anunciou um edital com seis eixos para que a população e estudiosos apontem sugestões sobre como o País pode melhorar o combate à corrupção. O edital ficará aberto até 8 de julho. (Estadão Conteúdo)

Curtas & Boas

Publicado em Curtas & Boas

Jornal A Notícia do Vale: 12 anos de ousadia, lucros, prejuízos/calotes, altos e baixos.

Casa Nova

Pela primeira vez a cidade de Casa Nova vai comemorar com festa o seu aniversário dia 20 de junho.  O município vai comemorar 136 anos de emancipação política, mas a nova cidade vai fazer na mesma data, 39 anos de relocada, e por essa razão, o prefeito prometeu confeccionar um bolo de 39 metros para ser distribuído em fatias para a população, após o ato cívico.

***

Vão ser dois dias de festa para comemorar o aniversario da cidade, 20 e 21. Sendo que no segundo dia haverá um encontro de FANFARRAS da Bahia e de Pernambuco.  A praça vai ficar totalmente colorida.

***

O prefeito de Casa Nova, Wilson Cota, finalmente assinou a ordem de serviço para a construção de um Centro de Convenções com capacidade para 900 pessoas. Os recursos são de uma emenda parlamentar do deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB).

***

Mais duas emendas foram colocadas no orçamento da união para Casa Nova, pelos deputados Daniel Almeida e Bebeto Galvão. Uma de 250.000,00 e a outra de 300.000,00. Se saírem da gaveta, Casa Nova, só ganha!

***

É isso que os deputados deveriam fazer, tanto os federais como os estaduais. Já pensou, se cada um deles colocasse uma emenda no orçamento para Casa Nova?

***

O pior é que muitos deles só querem o voto. Elegem-se e desaparecem... Só voltam quatro anos depois. A população precisa ficar atenta para isso!

***

Para o conhecimento dos nossos leitores, “A Notícia do Vale” pretende entrevistar nas próximas edições, pré-candidatos a prefeito (oposição e situação). Começamos com Daniela Silva (Dani Guerreira), filiada ao PC do B. O próximo pode ser você.

***

A direção do Jornal A Notícia do Vale agradece aos vereadores de Casa Nova que prestaram homenagem na Tribuna ao NOTICIOSO pelos seus 12 Anos que completou agora em MAIO. Obrigado!

Juazeiro

Há rumores na cidade que o assessor de Obras Estruturantes da Prefeitura de Juazeiro, Flávio Luiz, deverá ser indicado para ocupar o lugar de Alaôr Grangeon na 6ª Superintendência da Codevasf.

Sobradinho

A cidade de Sobradinho parou na noite do dia 16 de maio para comemorar o aniversário do prefeito de Sobradinho, Luiz Vicente, como também do seu irmão Mário que são gêmeos.

***

A festa que contou com a presença maciça da população, foi realizada no salão de festa da Colônia de Pescadores. O prefeito chegou ao evento carregado nas costas e nos braços dos seus apaixonados e correligionários que foram homenageá-lo.

***

A maior surpresa da festa ficou por conta da presença delideranças correligionárias políticas do ex-prefeito Genilson Silva, a exemplo de Charlão, Chiquinho, Joselito Macedo, Flavio Tattu e tantas outras. Chiquinho chegou a fazer até discurso declarando o seu apoio ao governo do prefeito Vicente.

 

***

A festa foi animada por duas bandas de forró; no intervalo e empolgado com a presença de tanta gente, o prefeito não se conteve e lançou o jingle da campanha do próximo ano “Ói nós, ói nós, oi nós aqui de novo...”.

 

 

***

Outras lideranças, de Juazeiro e Sento Sé também foram prestigiar o prefeito da Terra da Barragem, Luiz Vicente, que no seu discurso falou da sua satisfação ali naquele momento: “Este momento superou a felicidade do dia em que ganhei a eleição para prefeito de Sobradinho”.

 

***

Durante a festa foi servido churrasco, cerveja e mais de 20 bolos distribuídos em fatias para todos que compareceram e quiseram comer e beber à vontade.A festa tinha até RAINHA.

 

***

Na mesma noite em que Charlão compareceu ao aniversário do prefeito, surgiram comentários que no dia seguinte o “Gordo”, como é carinhosamente conhecido na cidade, e que é funcionário efetivo da prefeitura, seria promovido. Até hoje ninguém sabe o resultado.

 

Blatter renuncia à presidência da Fifa

Quatro dias após ser reeleito para um quinto mandato como presidente da Fifa, Joseph Blatter renunciou ao cargo, nesta terça-feira. Ele convocou o Comitê Executivo de forma extraordinária para escolher um novo mandatário.

"Vou continuar a exercer minha função como presidente até um novo ser escolhido. O próximo congresso demoraria muito. Esse procedimento será de acordo com os estatutos", afirmou o dirigente suíço, desde 1998 à frente da Fifa.

Blatter disse que não estava com o apoio necessário para seguir como presidente do órgão mais importante do futebol mundial. Assim, o comitê executivo extraordinário será convocado entre dezembro deste ano e março do próximo para a escolha do novo mandatário.

A entidade caiu em descrédito na última quarta-feira, dois dias antes da eleição presidencial, quando sete membros do comitê executivo foram presos acusados de corrupção. Muitas federações pediram o adiamento do pleito, o que não aconteceu.

Blatter acabou vencendo o único candidato de oposição, o príncipe da Jordânia Ali bin Al-Hussein, depois de a eleição não ter acabado no primeiro turno e o adversário ter desistido de uma nova rodada de votação.

O suíço afirmou que as prisões ajudavam a limpar a Fifa, mas na última segunda-feira seu principal braço-direito, Jerome Valcke, foi acusado de ter dado autorização para que 10 milhões de dólares de um fundo da Associação de Futebol da África do Sul (Safa) fossem para o vice-presidente da Concacaf, Jack Warner, um dos detidos pelo caso de corrupção revelado pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

Curiosidade: após conquistar seu quinto mandato para a presidência da Fifa, Joseph Blatter foi questionado se pensou em renunciar ao cargo. A resposta: "Por que deveria renunciar? Isso seria como reconhecer que fiz algo ruim"

Leia abaixo a íntegra do discurso de renúncia de Joseph Blatter

Eu tenho refletido profundamente sobre minha presidência e sobre os 40 anos nos quais minha vida tem estado inseparavelmente ligada à Fifa e ao grande esporte do futebol. Eu cuido da Fifa mais do que qualquer coisa e quero fazer apenas o que for melhor para a Fifa e para o futebol. Eu me senti compelido a me candidatar à reeleição, pois eu acredito que essa era a melhor coisa para a organização. Essas eleições acabaram, mas os desafios da Fifa, não. A Fifa precisa de uma inspeção profunda. Apesar de eu ter um mandato dos filiados da Fifa, eu não sinto que tenha um mandato para o mundo inteiro do futebol - os torcedores, os jogadores, os clubes, as pessoas que vivem, respiram e amam futebol tanto quanto nós todos na Fifa. Por isso, eu decidi entregar meu mandato para o congresso de eleição extraordinário. Eu continuarei a exercer minhas funções como presidente da Fifa antes dessa eleição. O próximo Congresso acontecerá em 13 de maio de 2016 na Cidade do México. Isso poderia criar um atraso desnecessário, e eu acelerarei o Comitê Executivo para organizar um Congresso Extraordinário para a eleição de meu sucessor na oportunidade mais breve. Isso precisará ser feito de acordo com os estatutos da Fifa, e nós devemos permitir o tempo suficiente aos melhores candidatos para se apresentarem e fazerem campanha. Como eu não serei um candidato - e estou, portanto, agora livre das restrições que as eleições inevitavelmente impõem -, serei capaz de me concentrar na condução de longo alcance, reformas fundamentais que transcendem os nossos esforços anteriores. Por anos, nós trabalhamos duro para colocar em prática reformas administrativas, mas está claro para mim que enquanto isso deve continuar, eles não são o bastante. O Comitê Executivo inclui representantes de confederações nas quais nós não temos controle, mas para essas ações a Fifa é responsável. Nós precisamos de mudança estrutural nas raízes mais profundas. O tamanho do Comitê Executivo deve ser reduzido, e seus membros devem ser eleitos através do Congresso da Fifa. As verificações de integridade para todos os membros do Comitê Executivo devem ser organizadas centralmente através da Fifa e não através das confederações. Nós precisamos limitar reeleições não apenas para o presidente, mas para todos os membros do Comitê Executivo. Eu lutei por essas mudanças antes e, como todos sabem, meus esforços foram bloqueados. Desta vez, eu vou conseguir. Eu não posso fazer isso sozinho. Eu pedi a Domenico Scala para dirigir a introdução e a implementação de essas e outras medidas. Sr. Scala é o presidente independente de nosso Comitê de Auditoria eleito pelo Congresso da Fifa. Ele é também o presidente do comitê eleitoral e, assim, ele organizará a eleição do meu sucessor. Sr. Scala goza da confiança de uma grande quantidade de constituintes dentro e fora da Fifa e tem todo o conhecimento e experiência necessários para ajudar a fazer essas reformas maiores. É meu profundo carinho pela FIFA e pelos seus interesses, o que eu apoio candidamente, que me levou a tomar esta decisão. Eu gostaria de agradecer àqueles que sempre me apoiaram de uma maneira construtiva e leal como presidente da Fifa e que fizeram muito pelo jogo que nós todos amamos. O que importa para mim mais do que qualquer coisa é que quando tudo isso acabar, o futebol é o vencedor.

Curtas e Boas 20/05

Publicado em Curtas & Boas

 

Audiência Pública realizada, na noite desta segunda-feira (18), na Câmara Municipal de Juazeiro, apontou como encaminhamento a criação de uma comissão, formada por representantes do poder público e da sociedade civil organizada, para discutir a construção da política da água no município. Com o tema “Crise hídrica: falta água ou gestão?”, a provocação encheu o plenário da Câmara de Vereadores, principalmente, com a participação de organizações, movimentos sociais e associações comunitárias do campo e da cidade, que denunciaram os problemas vividos pela falta de uma gestão das águas.

 

Debateram o tema a sociedade civil representada pela Articulação Popular do São Francisco Vivo e o Comitê das Associações Comunitárias de Massaroca, o Governo Municipal através do Saae, Governo Federal representado pela Codevasf, Legislativo Municipal e Assembleia Legislativa da Bahia. Apesar da provocação da audiência também ter sido em torno de refletir sobre as causas da crise, as representações dos governos federal e municipal enfatizaram as consequências, como a crise no setor da fruticultura irrigada na região Vale do São Francisco, que mais consome água da Bacia Hidrográfica do Rio. Para a sociedade civil, que apontou a necessidade da criação de uma política municipal da água, o problema maior é a falta da gestão adequada das águas na região Semiárida.

 

Érica Daiane Costa, representante das organizações sociais que provocaram a audiência, lembrou que essa crise que afeta a fruticultura irrigada e compromete a vida do Rio é provocada por este modelo de desenvolvimento colocado como ideal, com base no agronegócio, que ao contrário do que se defende, só gera desigualdades. Érica afirmou ainda que uma solução para a atual situação do Rio São Francisco não é a transposição, mas a revitalização, “nós não devemos brigar por mais água, nós temos água, então para que brigar pela transposição?”, questiona. O plano de saneamento básico e o plano municipal de água também foram apontados como políticas.

 

Resultados iniciais

 

A comissão visa discutir sobre as três propostas que surgiram durante a audiência, a criação de um pacto pelas águas, uma agência reguladora do setor e uma política municipal da água, tendo como missão construir proposições a serem apresentadas em outra audiência pública. A comissão deve ser composta por representantes dos poderes públicos e da sociedade civil organizada.

 

Ao final da Audiência também foi aprovada a carta política sobre a crise hídrica, assinada por 21 entidades da sociedade civil e o vereador Tiano Félix. Na carta são apontadas as causas da crise hídrica e proposições a cerca dos usos múltiplos da água diante das condições hídricas da região. O documento faz uma crítica ao modelo de desenvolvimento predador, apontando este como causador da chamada crise hídrica, além de colocar em evidência a necessidade de priorizar uma política municipal da água. A atenção por parte dos poderes públicos para a garantia dos planos de saneamento básico também é cobrada no documento.

 

Ascom/Irpaa