Curtas & Boas 02/09

Publicado em Curtas & Boas

Performance artística nu reúne 115 pessoas no Museu da República...A foto clicada pelo fotógrafo Kazuo Okubo ocorreu durante evento que teve como objetivo espantar a "caretice da capital".
 
Enquanto os termômetros marcavam 24Cº na capital federal, um grupo de 115 pessoas tirou a roupa e posou nu para o fotógrafo Kazuo Okubo em frente ao Museu da República de Brasília. O evento, que ocorreu durante a manhã deste sábado (02/9), se chama “Fotona” e faz parte da Cena Contemporânea. Segundo os organizadores, o clique rendeu o recorde de maior número de pessoas nuas em uma foto no Distrito Federal.
Responsável pela idealização, concepção e produção do Fotona, Diego Ponce de Leon, 35 anos, conta que o evento tem como objetivo ir de contra o momento de caretice e conservadorismo instalado na capital federal. “Nossa Brasília está se tornando uma cidade dormitório. Ninguém pode cantar, rir ou se divertir durante a noite. Vivemos um monte de lei do silêncio, bares sendo fechados, artistas sendo calados. Queremos mostrar que o concreto de Brasília também é feito de gente, arte e expressão”, garante. 
 
Entre os fotografados, pessoas das mais diversas idades, profissões e moradias. “Tinha gente que nunca havia posado para fotos. Todos ficaram muito emocionados. Escolhemos o Kazuo Okubo devido a representatividade que ele tem fora de Brasília, e o resultado ficou ótimo”, conta. Na última semana, Kazuo completou 58 anos, e conta que a foto foi o melhor presente que poderia receber. “Nem dormi na última noite, estava muito ansioso pois vamos mostrar que Brasília não é apenas política”, conta. 
Segundo o fotógrafo, isso mostra uma cara diferente da capital. “As pessoas vem o corpo como pecado, uma coisa ofensiva. Mas nós nascemos nus nesse planeta e não levamos nada daqui. O corpo é a nossa casa, e tem gente que tem uma grande e pequena, mas não devemos ter vergonha de mostrá-los”. Dentre os fotografados, também estava Maikon K, o performer curitibano foi detido por um policial militar enquanto iniciava uma performance nu no último mês de julho. 
Dessa vez, a polícia ficou de longe, organizando o evento. Segundo Diego, a organização conseguiu autorização da Secretaria de Cultura, Secretaria de Segurança Pública e Paz Social (SSP/DF) e da Vara da Infância e da Juventude para realizar o evento de modo seguro. O acesso foi restrito e supervisionado, garantindo que apenas maiores de idade participem. Toda a área foi cercada por alambrados, com todo segurança provida pela SSP.

Curtas & Boas 21/08

Publicado em Curtas & Boas

O cantor e compositor Raimundo Fagner criticou, segundo ele, do formato estrangeiro do programa  “The Voice”, da Globo. Para ele, o reality show é um “veneno para a música brasileira”, que “não estimula a música brasileira porque todo mundo tem de cantar em inglês”. 

Fagner também disse se sentir apunhalado pelo senador Aécio Neves (PSDB), para quem fez diversas campanhas eleitorais, e cobrou do tucano que lhe peça desculpas pessoalmente por ter “pisado na bola”. O artista se refere às acusações de corrupção e lavagem de dinheiro contra o presidente afastado do PSDB na Operação Lava Jato.

Fagner contou que tem uma relação de amizade com o político mineiro e que, por confiar nele desde o início de sua carreira política, sempre “emprestou” seu trabalho a Aécio. “Aécio não apenas me decepcionou, mas foi muito triste. O que eu me envolvi com ele, o que eu acreditei. Para mim, foi uma punhalada. Eu não merecia isso porque emprestei o meu respeito. Aécio me deve desculpas pessoalmente”, declar

Curtas & Boas 15/08

Publicado em Curtas & Boas

O povo quer saber o que o Zé foi conversar com o prefeito!

Já é normal na politica, adversários se abraçarem conversarem e até posarem para a imprensa. Mas tem fatos que o eleitor não perdoa e quer saber o que o ex-vereador e presidente da Câmara Municipal de Casa Nova, Zé Eduardo estava conversando com o seu principal adversário politico, o prefeito Wilker Torres, na festo do Poço da Pedra.

Tudo começou quando a missa terminou.

A missa terminou e em seguida teve a tradicional procissão pelas principais ruas da localidade do Poço da Pedra. O santo padroeiro foi colocado na igreja, os devotos foram pagar suas promessas, beijar o santo..., enquanto isso o prefeito ficou lá fora saudando os amigos, conversando com um, conversando com outro;  de repente Zé Eduardo aparece acompanhado do seu ex-diretor da Câmara e se dirige ao prefeito, chamando-o para uma conversa a sós... É essa conversa que o povo quer saber. 

Muita gente vindo

Há quem diga que o Zé também quer vir. Seu candidato a vereador nas últimas eleições, já veio; Pedrinho da Vanda, já veio; o Pinto, já veio; Zé da Vanda, já veio; Uilian, já veio; Fredão, já veio; Mazola, já veio; dizem que até o Cota, já veio. Por que o Zé não vir, também!

Entrosamento

Uma fonte nos informou no Poço da Pedra, que corre o risco, como diz o matuto; de Casa Nova ter um prefeito reeleito pela primeira vez. O prefeito tem uma facilidade enorme de se relacionar com os dois lados políticos (situação e oposição). Isso vem causando preocupação aos que resistem, chegando ao ponto de ter gente se apegando a coisas pequenas.

Depois tem mais...

Curtas e Boas 10/08

Publicado em Curtas & Boas

Casa Nova, localizado na região norte da Bahia, despencou da 91ª para a 4.137ª posição em um ranking de municípios com melhor situação fiscal no Brasil, divulgado nesta quinta-feira (10) pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan). A cidade baiana foi a que teve maior queda em todo o país, de 2015 para 2016.

Nesta edição, o Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF) faz referência ao ano de 2016. O índice é construído com base nos resultados fiscais declarados pelas próprias prefeituras, informações oficiais disponibilizadas anualmente pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN), por meio do Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro (Siconfi).

O IFGF é composto por cinco indicadores: receita própria, gastos com pessoal, investimentos, liquidez e custo da dívida. A pontuação dos municípios varia entre 0 e 1, sendo que, quanto mais próxima de 1, melhor a situação fiscal do município no ano em observação.

Em 2016, Casa Nova obteve um índice de 0,2845. Conforme a Firjan, a queda se deu porque, em 2015, o município baiano viveu cenário de recebimento de indenização do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef), e, em 2016, essa receita extraordinária não foi disponibilizada.

Com isso, segundo a Firjan, o município descumpriu a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) em relação aos gastos com pessoal e, além disso, terminou o último mandato com mais restos a pagar do que recursos em caixa.

O Fundef foi criado garantir uma subvinculação dos recursos da educação para o Ensino Fundamental, bem como para assegurar melhor distribuição desses recursos. Com este fundo de natureza contábil, cada Estado e cada município recebe o equivalente ao número de alunos matriculados na sua rede pública do Ensino Fundamental.

A disponoiblização dessa receita extraordinária, segundo a FIRJAN, contribuiu para o aumento na receita corrente líquida (RCL) das prefeituras. Os municípios, assim, apresentaram avanço no IFGF Receita Própria, e os precatórios entraram na conta como receita de indenização. Desta forma, com o aumento da RCL, menor percentual do orçamento ficou comprometido com despesas de pessoal, o que elevou o IFGF Gastos com Pessoal. No mesmo sentido, essas prefeituras tiveram mais espaço para cobrir os restos a pagar, com isso o IFGF Liquidez também aumentou.

No entanto, segundo a Fundação, em momentos de queda da receita, como o atual, há pouca margem de manobra para adequar as despesas à capacidade de arrecadação, deixando as contas públicas extremamente expostas à conjuntura econômica. Nos municípios, esse quadro é agravado pela dependência crônica por transferências dos estados e da União.

A atual gestão da prefeitura de Casa Nova culpa administração anterior pela queda no ranking. Diz, em nota, que houve desperdício dos recursos públicos e, como resultado, perda da capacidade produtiva tradicional, na redução continuada das receitas próprias e de repasses e no processo rápido de perda de importância política no cenário baiano e nacional.

O atual prefeito do município, Wilker Torres (PSB) disse que, ainda nesta semana, deve enviar à Câmara municipal um novo código tributário, estabelecendo descontos e até isenção para multas e juros e redução de alíquotas. O G1 não conseguiu contato com a admistração anteirior do município.

Apesar de Casa Nova ter apresentado a maior queda entre os municípios no ranking, outras cidades baianas aparecem em pior situação no levantamento. O município de Rio Real, a cerca de 200 km de Salvador, é a cidade do estado que aparece com o pior índice entre as que disponibilziaram os dados -- está na 4491ª posição, com 0,1657. Itapebi aparece na 4453ª posição, com índice 0,1987. Já São Félix do Coribe é melhor colocada no ranking entre as cidades baianas. No ranking nacional, aparece na 24ª posição, com índice 0,7770.

..............

Estudo da Firjan traz uma radiografia da crise fiscal nos municípios brasileiros. O estudo aponta que 86% dos municípios brasileiros estão em situação fiscal difícil ou crítica. Apenas 13 das 4.544 prefeituras avaliadas obtiveram o grau de excelência na gestão dos recursos públicos.

Por lei, os municípios devem encaminhar suas contas referentes ao exercício anterior até 30 de abril de cada ano para a Secretaria do Tesouro Nacional (STN). A STN, então, tem 60 dias para disponibilizá-las ao público.

As prefeituras são responsáveis por administrar um quarto da carga tributária brasileira, ou seja, mais de R$ 461 bilhões, um montante que supera o orçamento do setor público da Argentina e do Uruguai somados.

Conforme a Firjan, no entanto, até o dia 3 de julho de 2017, os dados de 1.024 municípios não estavam disponíveis ou apresentavam inconsistências que impediram a análise. Isso significa que 18,4% das 5.5684 prefeituras brasileiras não deram transparência à gestão dos recursos que administram. Sendo assim, com dados de 2016, foram avaliadas as contas de 4.544 municípios, onde vivem 177,8 milhões de pessoas, 87,5% da população brasileira. Na Bahia, 125 municípios (30% do total de cidades) estavam sem dados disponíveis até a data limite.

Dos 4.544 municípios analisados em todo o Brasil, 3.905 (85,9%) apresentaram situação fiscal difícil ou crítica, apenas 626 (13,8%) boa situação fiscal e somente 13 (0,3%) excelente situação fiscal. Assim, 2016 foi o ano com o maior percentual de prefeituras em situação fiscal difícil e com o menor número em situação excelente de toda a série do IFGF, iniciada em 2006.

A Firjan destaca que p problema fiscal brasileiro é estrutural e comum aos três níveis de governo, está relacionado ao elevado comprometimento dos orçamentos com gastos obrigatórios, notadamente despesas de pessoal.

Salvador

As capitais, conforme constatação do levantamento, têm menor dependência das transferências dos estados e da União, melhor gestão dos restos a pagar, bem como comprometem menos o orçamento com gastos de pessoal. As capitais concentram 22,7% da população brasileira (46 milhões de pessoas, em 2016) e administram 28,1% dos recursos em posse das prefeituras.

Salvador aparece na 105ª posição no ranking, com índice 0,7100. Conforme a FIRJAN, a cidade apresentou boa situação fiscal graças ao bom desempenho obtido no IFGF Receita Própria e no IFGF Liquidez.

A maior capital do Nordeste, ainda segundo o levantamento, dispõe de elevada capacidade de arrecadação, com receita própria suficiente para pagar toda a folha dos servidores municipais. Além disso, os recursos em caixa descontados os restos a pagar representam 17,0% da RCL. A capital baiana, conforme a FIRJAN, só não atingiu o topo do ranking das capitais devido ao baixo volume de investimentos (5,6% da RCL, Conceito D no IFGF Investimentos).

Fonte: G1 Bahia Foto da Internet

Curtas & Boas 10/08

Publicado em Curtas & Boas

O ex-prefeito de Casa Nova, Wilson Freire Moreira, foi multado em R$5 mil por não ter constituído, no exercício de 2016, a Comissão de Transição de Governo Municipal, e também não encaminhar ao seu sucessor, no prazo devido, as documentações e as informações necessárias para o pleno exercício da gestão. O Tribunal de Contas dos Municípios julgou procedente, por unanimidade, o termo de ocorrência.

De acordo com o relator do processo, conselheiro José Alfredo Dias, os prefeitos e presidentes de Câmaras devem repassar informações e documentos aos representantes da nova administração, de modo a não inibir, prejudicar ou retardar as ações e serviços iniciados em prol da comunidade, evitando a descontinuidade administrativa no município.

Cabe à Comissão providenciar a apresentação de diversos documentos, com destaque para o Plano Plurianual, o Orçamento Anual e a Lei de Diretrizes Orçamentárias, contendo os Anexos de Metas e Riscos Fiscais para o exercício seguinte, que são indispensáveis ao regular funcionamento da máquina pública municipal. Tais providências não foram adotadas pelo gestor que estava encerrando o mandato, causando grandes embaraços à administração que se iniciava. Apesar de notificado, o ex-prefeito não apresentou qualquer justificativa. Cabe recurso da decisão.

......................................................................................

Pré candidato a deputado estadual, Tum (PSB), assessor parlamentar de Bebeto Galvão, está levando sua candidatura para além das fronteiras de Casa Nova: já marca território em Sobradinho, onde tem o apoio do ex prefeito Genilson Silva (PT) e abraça Tiziu, candidato com mais de 6 mil votos nas últimas eleições.

Recebido na Festa do Vaqueiro, apresentado às lideranças, como Alex da Padaria, Tum não se permite descansar: “Busco unidade em todas as frentes. Sem isso não teremos força para vencer as dificuldades que a nossa região vive – analisa e completa - “Para minha alegria, aqui em Sobradinho, Genilson, Tiziu, Alex e muitos outros líderes políticos e comunitários entenderam essa proposta. Em 2018 o que mais queremos é unidade em defesa de nossa região. 

.................................................................

Os comitês estadual e municipal do PCdoB em Salvador se posicionaram sobre a acusação de que a vereadora Aladilce Souza seria a responsável por organizar o protesto contra o prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), que chegou a ser atingido por ovos. O partido explica que a ação foi organizada pela Frente Brasil Popular, um coletivo que reúne diversas entidades, e conduzida pelos seus coordenadores.

O PCdoB também denuncia e repudia a ação truculenta dos seguranças particulares contratados pelo prefeito ACM Neto, que, na ocasião, usaram de violência para tentar reprimir o protesto. Um dos manifestantes teve a perna fraturada por conta da ação dos seguranças.

Confira a íntegra da nota:

O prefeito de São Paulo acusou a vereadora do PCdoB de ter organizado a “ovada de que foi alvo”. Não é verdade. O ato realizado na noite do dia 07/08 foi organizado formalmente pela Frente Brasil Popular da Bahia, com convocatória amplamente difundida nas redes sociais, e conduzido na oportunidade por membros da coordenação da referida Frente.

A manifestação tinha objetivo claramente definido: protestar contra a entrega do título de cidadão soteropolitano a uma pessoa que não tem nenhum serviço prestado à cidade, o que se exige para o recebimento dessa homenagem. E durante o ato foi repetido seguidas vezes que aquele que manda despejar jatos de água fria em moradores de rua, que manda derrubar casarões com pessoas pobres dentro, que manda invadir ocupações com espancamento de mulheres, idosos e crianças, não merece tamanha honraria. Foi lembrado também que Dória, quando presidente da Embratur, no governo Sarney, propôs transformar a miséria do nordeste em atração turística – um verdadeiro escárnio contra a povo da região.

É necessário esclarecer a opinião pública o que até agora não foi divulgado. A tal “ovada” que atingiu o prefeito não foi uma iniciativa que veio do nada. Enquanto acontecia a manifestação de maneira pacífica, cerca de 60 capangas contratados pelo prefeito ACM Neto (da mesma tradição do avô) receberam ordens para invadir a área dos manifestantes para tomarem na marra o Nano Trio (uma minitrio elétrico) trazido pela Frente Brasil Popular. Neste momento, dezenas de jovens, mulheres e idosos foram covardemente espancados pelos prepostos do prefeito, tendo um deles quebrado a perna. E essa milícia particular soltou bombas, gases, socos e pontapés, provocando um verdadeiro terror, típico dos períodos da ditadura. Foi aí que surgiu de alguns manifestantes, espontaneamente, a iniciativa de revidar jogando ovos, um dos quais atingiu o prefeito que veio fazer campanha eleitoral quando deveria estar trabalhando.

Registramos nosso repúdio ao prefeito de Salvador pela violência característica de seus métodos de fazer política e as bravatas de Dória contra nossa a vereadora.  Aladilce tem um mandato a serviço dos trabalhadores, contra a venda da cidade a interesses empresariais patrocinada por ACM Neto e em defesa da democracia.  Portanto, conta com nossa integral solidariedade. Comitê Municipal e Estadual do PCdoB de Salvador.

...........................................................................