TCE/BA completa 102 anos...

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Nacional

 
thumbnail seminario educacao nossa conta1...com foco na qualidade da educação pública.
 
Com a presença de mais de 500 participantes que lotaram o auditório do Gran Hotel Stella Maris, em Salvador, o lançamento do programa “Educação é da nossa conta” marcou, nesta segunda-feira (21.08), o aniversário de 102 anos do Tribunal de Contas do Estado da Bahia (TCE/BA).

O evento, promovido pelo TCE/BA e TCM/BA em parceria com a Escola de Contas Conselheiro José Borba Pedreira Lapa (ECPL), reuniu estudantes, professores, gestores, profissionais e pensadores da área de educação e controle com o objetivo de definir diretrizes que intensifiquem a fiscalização do recurso público destinado à educação, contribuindo para a elevação do nível do ensino no País.

Em seu discurso de abertura, o presidente do TCE/BA, Inaldo da Paixão Santos Araújo, saudou os professores presentes, pedindo que todos se levantassem. “O trabalho que vocês desempenham é essencial para a construção da cidadania. É muito importante que todos vocês estejam aqui para abrir novos caminhos da educação no País”, disse o conselheiro-presidente.

Inaldo Araújo salientou ainda o papel fundamental da educação na formação intelectual e crítica dos cidadãos, destacando o momento de coesão em que os Tribunais de Contas inserem em sua pauta a prioridade de controle dos recursos destinados à educação. “Precisamos cada vez mais valorizar os nossos Planos Nacionais de Educação, um plano que se faz a cada dez anos, mas a cada dez anos não se avalia adequadamente qual o resultado do Plano anterior. Sendo assim, os Tribunais de Contas do Brasil inteiro estão muito preocupados em fiscalizar melhor os Planos Nacionais de Educação. Fiscalizar a Educação é da nossa conta”, afirmou.

Na avaliação da conselheira Carolina Costa, cuja equipe de gabinete está à frente do “Educação é da nossa conta”, o encontro é uma oportunidade de aprender e de dialogar sobre o tema educação, além de promover o ordenamento do controle dos recursos destinados a essa área. “Vocês, alunos e professores aqui presentes, são os componentes principais do processo educativo. Por esse motivo devemos, tanto o poder público quanto a sociedade, cercá-los com maior cuidado e atenção possível”, disse a conselheira, lançando a seguinte reflexão: “ A grande procura pelo  evento, cujas inscrições se encerraram há dez dias, demonstra a importância do tema. Nesse sentido, eu endosso as palavras de Fernando Savater, quando afirma que, ‘para o ser humano, não basta nascer, é preciso aprender, na medida em que a genética nos pressupõe para sermos humanos, mas somente por meio da educação e do convívio social conseguiremos efetivamente ser”.

Compuseram ainda a mesa diretora do evento o presidente do TCM/BA, conselheiro Francisco de Souza Andrade Netto; o presidente do TCE/MG, conselheiro Sebastião Helvécio Ramos de Castro; o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, deputado Angelo Coronel; o presidente da União dos Prefeitos da Bahia, Eures Ribeiro; o subsecretário da Educação do Estado da Bahia, Nildon Pitombo; a subsecretária de Educação de Salvador, Rafaella Pondé; o presidente da Seccional Bahia da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Willians Panfile Santos Brandão; o diretor do Centro de Formação ao Trabalho, Manoel Calazans, e do primeiro secretário da Associação dos Trabalhadores em Educação das Redes Públicas Estadual e Municipal do Ensino Pré-fundamental e Médio da Bahia (APLB), Rui Oliveira.


Gustavo Rozário
Tribunal de Contas do Estado da Bahia
Assessoria de Imprensa

Ministro nega redução do salário mínimo

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Nacional

ministro do Planejamento Dyogo OliveiraO governo entrou em campo para desmentir boatos de que teria reduzido o salário mínimo. Neste domingo, o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, gravou um vídeo esclarecendo que o valor efetivo do piso do soldo só será conhecido em dezembro, e que as projeções de queda de R$ 10 no salário mínimo aconteceram por conta da queda da inflação.

“Não é verdade que o governo reduziu o salário mínimo. O que está valendo hoje, para 2017, é o salário mínimo de R$ 937, e para 2018 vale o que está na lei. Ou seja, o salário mínimo será reajustado pela inflação”, disse Dyogo em vídeo de menos de um minuto, em que ataca “falsas notícias”.

Na última quarta-feira, o governo divulgou uma nova projeção para o salário mínimo em 2018: R$ 969, R$ 10 a menos dos R$ 979 previstos inicialmente. Segundo Dyogo, isso se deu por conta da queda da projeção da inflação para o ano que vem: em nova análise, a projeção do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) ficou em 4,2%, ante a previsão de 4,5%.

O salário mínimo, que será anunciado em dezembro e entrará em vigor em janeiro, é calculado em função da variação do INPC no ano anterior e também do resultado do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes. O piso do soldo federal é de R$ 937. No Rio, é de R$ 1.136,53.

Caravana de Lula arrasta multidão em Salvador

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Nacional

Lula é recebido por multidão em SalvadorA primeira agenda da caravana 'Lula pelo Brasil' passou por Salvador como um rolo compressor, arrastando uma multidão. Críticas ao novo modelo econômico, contra as reformas propostas pelo atual governo federal foram compartilhadas pela militância petista durante a inauguração do 'Memorial da Democracia', que narra as principais ações dos dois mandatos de Lula. Para o deputado federal Valmir Assunção (PT-BA), membro do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), o ex-presidente "continua sendo o mais querido do país e isso ficou evidente na atividade em Salvador. Assunção aponta que a única saída para resolver a crise política é uma eleição direta. "Queremos que Lula seja candidato e volte a estabelecer uma política que olhe para o povo, porque o governo do golpista Temer só retira direitos dos trabalhadores, e isenta ricos. Economiza no salário mínimo, mas perdoa as dívidas dos empresários", salienta. 

Lula desembarcou no aeroporto da capital baiana, foi recebido pelo governador Rui Costa e pelo ex-governador e ex-ministro do governo Dilma, Jaques Wagner, e se encontrou com o jovem Everton Conceição, 11 anos depois de ter participado de uma agenda com o ex-presidente em Lauro de Freitas e virado símbolo da campanha de reeleição em 2006. O primeiro dia da caravana 'Lula pelo Brasil' também teve uma visita a obras da estação do metrô de Pituaçu, onde ele conheceu as instalações e se encontrou com operários, militantes e políticos. Já na Fonte Nova, participou do lançamento da 3ª fase do Memorial da Democracia, e do lançamento da obra 'Comentários sobre uma sentença anunciada'. Em seu discurso, o ex-presidente fez um relato das ações realizadas por ele, criticou a liminar que cancelou a entrega de um título Honoris Causa pela Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB) e o vereador do DEM, autor da ação, além de narrar momentos importantes da história do Brasil, que começou pela Bahia com inúmeras revoltas contra a Coroa Portuguesa. 

"Foi aqui na Bahia, que essa história começou. Aqui teve início a dominação colonial, o martírio dos indígenas, a exploração desumana dos africanos escravizados. Foi também na Bahia, que começou a penar uma heroica resistência de um povo que foi se formando a garantir tantas e tantas origens. Episódios como a Revolução dos Malês, a Conjuração Baiana e a Sabinada são exemplos de luta contra a escravidão e a tirania que marcam a formação do povo baiano. Entre tantos heróis da liberdade que a Bahia deu ao Brasil quero recordar de três mulheres: Joana Angélica, Maria Quitéria, e a negra Maria Felipa", detalha Lula. Salvador foi a primeira cidade da caravana, que vai até o dia 5 de setembro, no Maranhão. Lula percorrerá de ônibus nove estados nordestinos para conhecer as mudanças que ocorreram durante os governos do PT. Tem agenda do ex-presidente na Bahia ainda em Cruz das Almas, São Francisco do Conde e Feira de Santana.

Ascom do deputado Valmir Assunção

PSDB de São Paulo repudia articulação de Aécio e Temer

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Nacional

naom 5999e78415906Em mais um capítulo do aprofundamento das divisões internas do PSDB, o diretório do partido na cidade de São Paulo divulgou uma nota neste domingo (20) em que "repudia veementemente" qualquer tentativa de articulação política entre o senador Aécio Neves (MG) e o presidente Michel Temer. "A presença de Aécio Neves hoje, em reuniões internas ou públicas, só nos causa desconforto e embaraços. Prove sua inocência, senador, e aí sim retorne ao partido", diz o comunicado do diretório, publicado pelo vereador Mario Covas Neto, presidente do PSDB paulistano. "Que fique claro: quem pode falar em nome do PSDB é quem está no exercício da presidência. No caso, o senador Tasso Jereissati", acrescenta a nota.

Aécio se licenciou da presidência da legenda em maio, após ter sido gravado pelo empresário Joesley Batista pedindo R$ 2 milhões, e foi alvo de denúncia da Procuradoria-Geral da República ao STF (Supremo Tribunal Federal). Em seu lugar, Jereissati assumiu interinamente (CE). O grupo ligado a Aécio e ministros tucanos do governo Temer tem criticado decisões tomadas por Jereissati, como um programa partidário em que se refere ao atual sistema de governo como "presidencialismo de cooptação" e defende o parlamentarismo. Esse grupo se movimenta para que Aécio reassuma o comando da sigla.

O senador tem se reunido com o presidente Michel Temer nos últimos meses, e faz parte da ala que defende que os tucanos continuem no governo federal.Já Tasso tem defendido que o PSDB entregue os quatro ministérios ao Palácio do Planalto. Em São Paulo, o prefeito João Doria critica publicamente a permanência de Aécio no comando do partido.

Com informações da Folhapress.

Lula : ‘O País não nasceu para ser a merda que é’.

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Nacional

Lula 01O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) descreveu, na manhã deste sábado (19), na Bahia, um cenário nebuloso para o país. “Este país tem jeito. Não nasceu para ser a merda que ele é. Este país é grande demais.”

Ao lado do governador do Estado, Rui Costa, e do ex-ministro Jaques Wagner, Lula lamentava a situação financeira dos municípios diante de 60 prefeitos do Estado, além de deputados estaduais e federais.

Após a afirmação, pediu desculpas pelos termos usados. Uma hora depois, para um público formado por militantes do MST (Movimento dos Sem Terra), Lula se comparou a um galo de briga.

Depois de criticar a imprensa e chamar o empresariado de mal-agradecido, ele disse que seus opositores têm medo de sua eleição porque sabem “o que vai acontecer”.

No discurso, ele disse que tinha que poupar a voz para não chegar “cacarejando” nas cidades que compõem a caravana pelo Brasil.

“Tenho que chegar como galo de briga. Falando grosso.” Ao falar “daqueles que resolveram infernizar” sua vida, Lula disse que não é como os políticos que colocam o rabo entre as pernas.”Sou temente a Deus. Não sou temente aos homens.”

Presenteado com acessório de couro, afirmou: “Eu achava que sou corajoso. Agora com esse chapéu e jaleco, pode acreditar que vai acontecer muito mais coisa neste país”

Dirigindo-se à plateia de trabalhadores rurais, Lula afirmou que cuidará deles se eleito, porque sabe quem ficou ao seu lado.

 

Foto: Divulgação