Morre, aos 98 anos, a atriz Eva Todor

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Nacional

DQsMa08X4AAULc Ela esteve internada com quadro de pneumonia e sofria de mal de Parkinson. O velório será realizado nesta segunda-feira (11/12) no Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Morreu em casa nesta manhã, aos 98 anos, a atriz Eva Todor. A atriz estava internada desde março, com quadro de pneumonia e sofria de mal de Parkinson. A notícia foi confirmada por amigos da artista, que estava na companhia de empregados e familiares. 
 
A atriz estava afastada da televisão desde Salve Jorge, novela exibida pela Rede Globo em 2012. Sua última aparição foi em novembro de 2014, quando foi homenageada por amigos artistas no Teatro Leblon. Eva Todor tinha mais de 80 anos de profissão. 
A artista nasceu em Budapeste, na Hungria, e chegou ao Brasil aos dez anos, naturalizando-se brasileira na década de 40. Seus pais eram ligados ao meio artístico e saíram da terra natal em 1929, por dificuldades financeiras. Já na América, Eva trocou seu nome de batismo, Fodor, por Todor. Nos últimos anos de vida, sofreu de Mal de Parkinson e se tornou reclusa. Entre os trabalhos marcantes, estão as novelas Locomotivas (1977), O cravo e a rosa (2000) e Caminho das Índias(2009). No total, foram 21 participações entre novelas e minisséries. 
 
Já no cinema e no teatro, Eva colecionou sucessos, especialmente em papeis mais leves e cômicos. Contracenou com alguns dos artistas brasileiros mais importantes de todos os tempos, como Oscarito, e fundou uma companhia teatral própria, intitulada Eva e seus artistas. A artista relembrou essa convivência em seu livro de memórias, O teatro de minha vida, lançado em 2007.

Eva Todor era viúva e não deixa filhos. Famosos lamentam a morte dela nas redes sociais, como a atriz Glória Pires. Mais uma estrela enfeitando o céu", escreveu.

O velório da atriz será realizado nesta segunda-feira (11/12), das 9h às 11h, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. De lá, a cerimônia continuará na capela de número 8 do Memorial do Carmo, no Caju, onde ela será cremada às 16h

Braziliense

Médica acusada de homicídio de irmãos em Ondina, é inocentada em júri

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Nacional

l.l.l.lA médica Kátia Vargas, acusada de duplo homicídio dos irmãos Emanuel e Emanuelle, foi considerada inocente pelo júri, de acordo com informações de advogados e promotores envolvidos no processo. Os jurados consideraram que a médica não cometeu crime no momento em que aconteceu o incidente que culminou com a morte dos irmãos, no bairro de Ondina. A informação foi divulgada no começo da noite desta quarta-feira (6), após dois dias de oitiva de testemunhas, cinco de acusação e cinco de defesa, argumentos do Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA) e do advogado da família dos irmãos mortos em outubro de 2013, e também dos defensores da médica, que sugeriram a inocência da médica desde o início do julgamento.

Antes do anúncio da sentença, as duas famílias rezavam. A mãe dos irmãos, Marinúbia Gomes, chorou e foi amparada por parentes. O julgamento do caso, que comoveu a Bahia e chamou atenção do país, começou na terça (5). Durante quase dez horas, testemunhas de defesa e acusação deram suas versões sobre o fato. Os testemunhos convocados pela acusação corroboraram a tese do Ministério Público da Bahia (MP-BA) e das investigações de que a médica provocou o acidente propositalmente, após uma discussão de trânsito com os irmãos.

Por outro lado, a defesa tentou desmontar a tese, afirmando que não havia provas da intencionalidade de Kátia. Um perito convocado por ela sustentou que o acidente ocorreu após a moto em que estavam os irmãos ter passado por uma vala, levando Emanuel a perder o controle do veículo e batendo no poste. O depoimento dele, que contrariou a perícia feita pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT), foi criticado pela família, promotores e advogados das vítimas. Nesta quarta (6), defesa e acusação debateram as teses.

A acusação continuou defendendo a condenação da médica por homicídio doloso. Já a defesa pediu que ela fosse inocentada ou condenada a homicídio culposo. O dia também foi marcado pelo testemunho de Kátia. Demonstrando estar abalada, ela contou o que viveu após o acidente e chegou a admitir que foi imprudente ao trânsito, mas não teve intenção de matar os irmãos. O Ministério Público e o advogado da família dos irmãos mortos pedia condenação por homicídio doloso, quando há intenção de matar, em que a pena pode chegar a 20 anos. Mais cedo, a defesa da família dos irmãos mortos sugeriu que, independente do resultado, haveria recurso de qualquer uma das partes envolvidas.

BN

Câmara aumenta pena a motorista alcoolizado que provocar acidente com morte

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Nacional

20171207014124952916ePelo texto, a punição para o crime será de reclusão de cinco a oito anos. O Projeto de Lei 5568/13, de autoria da deputada Keiko Ota (PSB-SP), já passou pelo Senado e agora segue para sanção presidencial.

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (6/12) o aumento da pena para motoristas sob efeito de álcool ou drogas que provocar acidente com morte. Pelo texto, a punição para o crime será de reclusão de cinco a oito anos. O Projeto de Lei 5568/13, de autoria da deputada Keiko Ota (PSB-SP), já passou pelo Senado e agora segue para sanção presidencial.
O texto original da Câmara, aprovado em setembro de 2015, estabelecia pena de detenção de dois a quatro anos. Com o prazo alterado pelo Senado, a matéria precisou retornar para votação pelos deputados. A atual penalidade administrativa de suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo automotor continua valendo.
No plenário, os deputados rejeitaram duas alterações ao texto feitas pelo Senado, uma delas a que acabava com o limite máximo de álcool a partir do qual o condutor flagrado pode ser condenado a pena de detenção de seis meses a três anos, multa e suspensão da carteira ou proibição de obtê-la. Atualmente, é prevista pena para o condutor flagrado dirigindo com concentração igual ou superior a 6 decigramas de álcool por litro de sangue ou igual ou superior a 0,3 miligrama de álcool por litro de ar nos pulmões.
As novas regras entrarão em vigor após 120 dias da publicação da lei.
 
Correiobraziliense/Foto:Divulgação

Rui Costa autoriza realização de concurso público para auditor fiscal

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Nacional

d949a985 b0d6 494b 8425 877e1139db1cO governador Rui Costa assinou, nesta quarta-feira (6), a autorização para realização de concurso público para o cargo de auditor fiscal da Secretaria da Fazenda do Estado (Sefaz). A assinatura aconteceu durante mais uma edição do programa #PapoCorreria, transmitido ao vivo pelo Facebook. Serão 60 vagas para nível superior com salário base de R$ R$ 8.456,19. Com os benefícios previstos em lei, o salário pode chegar a R$ 13 mil ainda no início da carreira. A previsão é que o edital seja publicado no primeiro trimestre de 2018. 

Para concorrer às 60 vagas será necessário que o candidato tenha nível superior nas seguintes áreas: Administração, Ciências Econômicas, Ciências Contábeis, Direito, Engenharia, Informática, Sistemas de Informação, Ciência da Computação ou Processamento de Dados. 

O secretário da Fazenda do Estado, Manoel Vitório, afirma que as novas contratações contribuirão para fortalecer a equipe da Secretaria. Vitório destaca o papel desempenhado pela equipe para garantir as boas performances da arrecadação e do controle de gastos, o que tem assegurado o equilíbrio das contas estaduais, com o pagamento em dia dos salários dos servidores e dos compromissos com fornecedores, além da manutenção de uma pauta de investimentos necessários ao desenvolvimento econômico e social do Estado. "Desde o início da atual fase de retração da economia, o trabalho de toda a equipe da Sefaz tem sido essencial para conseguirmos manter as finanças da Bahia em equilíbrio fiscal", ressalta.

Secom Bahia Foto: Mateus Pereira/GOVBA

PSDB e PMDB derrubam regulamentação de união civil...

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Nacional

... entre pessoas do mesmo sexo, acusa Humberto.
thumbnail Foto Roberto Stuckert Filho 1Previsto na pauta do plenário do Senado nesta terça-feira (5), o projeto de lei que promove o reconhecimento legal da união estável entre pessoas do mesmo sexo não foi apreciado pelos parlamentares por falta de quórum. Apenas 22 senadores registraram presença para examinar a matéria e, mesmo depois de a sessão ter ficado parada por vários minutos à espera de novas presenças, o painel ficou longe de registrar o mínimo de 41 senadores exigidos para a apreciação da proposta. 
Para o líder da Oposição na Casa, Humberto Costa (PT-PE), que orientou o PT a votar a favor do texto, considerado revolucionário e justo pelo partido, a ausência dos integrantes do PMDB e do PSDB, as duas maiores bancadas, foi fundamental para derrubar a votação da proposição. Pela bancada do Partido dos Trabalhadores, Humberto encaminhou o voto favorável em nome “da igualdade de direitos a todos os cidadãos e cidadãs brasileiras”. O PT foi o único partido a encaminhar a votação.
Humberto afirmou que houve uma manobra suja articulada pelas duas maiores legendas da Casa, que resultou na ausência, inclusive, do senador tucano Aécio Neves (MG) e de cerca de outros 30 parlamentares de PSDB e PMDB. 
“Estamos vendo aqui no Congresso Nacional um movimento conservador e retrógrado que impede o avanço social que o país vinha conquistando na última década, com Lula e Dilma. Todas essas medidas nebulosas agora são aplaudidas por esse governo nefasto. É um dos piores Legislativos que já tivemos, que se une ao presidente mais corrupto da história”, disparou. 
O líder da Oposição criticou o avanço de pautas conservadoras que remetem o país aos tempos vividos em séculos passados. Ele citou como exemplo de medidas que atentam contra os direitos humanos a portaria editada por Michel Temer (PMDB) que liberou o trabalho escravo no país e a proposta aprovada por 18 deputados em uma comissão especial da Câmara que proíbe o aborto até em casos de estupro.
“Estamos falando de um retrocesso com as digitais de hipócritas, facínoras e nazistas da pior qualidade, que posam de moralistas, mas defendem estupros, racismo, tortura, mortes e se mostram inspirados em grupos terroristas como o Estado Islâmico. É assim que se passa com Jair Bolsonaro, é assim que se passa com esses patetas descerebrados do MBL”, declarou. 
De acordo com o parlamentar, esses são os mesmos que aplaudem a retirada dos direitos e os ataques às mulheres, à comunidade LGBT, aos negros, os mesmos que defendem a redução completa do Estado e o esfacelamento de programas sociais que reduzem as agruras dos mais pobres.
Humberto já vinha declarando apoio ao projeto da senadora Marta Suplicy (PMDB-SP) que legaliza a união estável homoafetiva, ao promover alterações no Código Civil, com base no entendimento já pacificado do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).
Segundo Humberto, a matéria não deveria ser encarada como uma questão de religião, mas sim de garantia de direitos civis a uma enorme parcela da nossa sociedade para a qual o “Congresso tem virado as costas e negado o justo e necessário amparo do Estado, já reconhecido pelo STF e CNJ”.
 

 

Natália Kozmhinsky -