Exército, Marinha e Aeronáutica realizam coletiva

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Nacional

aedes aegypti04O Governo da Bahia e as Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica) realizam coletiva de imprensa, nesta sexta-feira (12), às 9h, na sede do Comando da 6ª Região Militar, localizado no bairro da Mouraria, em Salvador. Na pauta estarão as ações de mobilização e combate ao mosquito Aedes aegypti, que terão início simultâneo em 13 cidades do estado neste sábado (13).

Os municípios de Salvador, Feira de Santana, Barreiras, Paulo Afonso, Ilhéus, Itabuna, Vitória da Conquista, Juazeiro, Camaçari, Porto Seguro, Alagoinhas, Jequié e Santo Antônio de Jesus contarão com representantes dos governos federal e estadual, além das Forças Armadas. “Buscamos a participação e envolvimento de todos, a exemplo de lideranças políticas, associações, sindicatos, agentes de saúde e, principalmente, do cidadão comum, pois cerca de 80% dos focos do mosquito estão nas residências”, afirma o secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas.

Entre as presenças confirmadas na ação deste sábado estão do ministro da Saúde, Marcelo Castro, em Salvador; da secretária executiva da Casa Civil, Eva Chiavon, em Vitória da Conquista; do secretário do Ministério da Justiça, Marivaldo Pereira, em Barreiras; do ministro interino da Secretaria da Aviação Civil, Guilherme Ramalho, em Feira de Santana; e do reitor da Universidade Federal da Bahia (Ufba), João Carlos Salles, em Camaçari. Nesta ação, além das autoridades federais, estaduais e municipais, as forças armadas terão efetivo de mais de 4,5 mil homens.

Na segunda etapa, entre os dias 15 e 18 de fevereiro, Exército, Marinha e Aeronáutica farão visitas nas residências junto com os órgãos estaduais e municipais para o combate e a erradicação de focos do mosquito. O Governo da Bahia também atuará nas escolas, com a distribuição de cartilhas e fazendo palestras sobre as formas de eliminação dos criadouros, bem como na capacitação de cerca de mil agentes de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), que levarão informação aos quatro cantos do estado.

Fonte: Ascom/Secretaria da Saúde do Estado (Sesab)

Aborto motiva racha nas igrejas

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Nacional

BBplwnaApós encontro com a presidente Dilma Rousseff, líderes religiosos defenderam que é preciso debater com a sociedade a descriminalização do aborto em meio à epidemia de zika. A posição diverge da anunciada semana passada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que afirmou que o aumento de casos de microcefalia no País não justifica a medida.

Segundo integrantes do Conselho Nacional das Igrejas Cristãs (Conic), o assunto não foi tratado na reunião com a presidente e ainda não há consenso. “Precisamos, sim, com urgência tratar da questão”, disse dom Flávio Irala, presidente do Conic e bispo da Igreja Anglicana. “A discussão sobre o aborto está entrando de forma meio enviesada, em função da microcefalia. O fato é que existe uma preocupação com as vidas de todos os envolvidos: mães, bebês e famílias”, afirmou, durante a cerimônia inicial da Campanha da Fraternidade Ecumênica (CFE), que discute o saneamento.

O tema foi destacado como oportuno pelas autoridades, já que a falta de saneamento está ligada a uma maior incidência de doenças - entre elas o zika, que, segundo o governo, tem causado um surto de microcefalia em bebês (3.670 casos suspeitos estão sendo investigados). O vírus transmitido pelo mosquito Aedes aegypti encontra em águas paradas as condições ideais para se proliferar.

Enquanto grupos se organizam para levar a questão do aborto de bebês com microcefalia ao Supremo Tribunal Federal, esperando uma decisão histórica como a de 2012, que tornou possível que mulheres interrompessem as gestações de fetos anencéfalos, nem todas as vertentes cristãs compartilham do posicionamento da CNBB, que foi categórica ao afirmar que a prática é “um total desrespeito ao dom da vida”.

O bispo auxiliar de Brasília e secretário-geral da CNBB, d. Leonardo Steiner, por exemplo, afirmou que “o aborto favorece a eugenia, uma prática para selecionar pessoas perfeitas” e “estão (os grupos pró-legalização) aproveitando a epidemia de zika para reintroduzir o assunto”. Para Joel Zeferino, pastor da Igreja Batista Nazareth, “não dá para ignorar o assunto”. “E é preciso empoderar as mulheres nessa discussão.”

Durante o encontro no Palácio do Planalto, Dilma pediu ajuda das igrejas de todo o País no combate ao Aedes. Já o ministro das Cidades, Gilberto Kassab, afirmou que o Brasil “infelizmente está aquém” do ideal no quesito saneamento básico. “O mosquito é uma preocupação que vivemos hoje no País e tem forte ligação com a ausência de saneamento, cujos investimentos são, por natureza, mais difíceis”, admitiu.

Papa. Durante o lançamento da CFE, houve a leitura de uma carta assinada pelo papa Francisco em que ele convida as pessoas “a se mobilizar, a partir dos locais em que vivem”.

Texto e foto: Estadão

Lula: "Há um projeto para me destruir"

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Nacional

BBpnu6QO ex-presidente Luíz Inácio Lula da Silva afirmou que está se sentindo no meio de "uma gingana", o "prêmio que todos querem exibir como trunfo", referindo-se à Polícia Federal e o Ministério Público Federal, segundo a colunista Mônica Bergamo.

Um amigo de confiança que Lula recebeu antes do Carnaval no Instituto Lula ouviu do petista que ele estava se sentindo inconformado: "Eu nunca fiz disputa fora da política. E agora, comigo, estão passando desses limites. Estão jogando abaixo da linha da cintura. Há um projeto para me destruir, e ao nosso legado", diz a colunista.

O ex-presidente ainda tem repetido para quem queira ouvir que "poderia ter ganho milhões, milhões. Mas todos que me conhecem sabem que a minha preocupação nunca foi ganhar dinheiro. E sim transformar o país. Isso ninguém tira de mim".

Notícias ao Minuto

Mangueira é grande campeã do Carnaval

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Nacional

BBphtHOA Estação Primeira de Mangueira conquistou nesta quarta-feira o seu 18º título do Carnaval do Rio de Janeiro. Com homenagem aos 50 anos de carreira da cantora Maria Bethânia, a tradicional escola carioca quebrou um jejum que já durava 14 anos.

A disputa pelo campeonato foi acirrada desde o início da apuração no sambódromo da Sapucaí, com Unidos da Tijuca (2º), Portela (3º) e Salgueiro (4º) ameaçando a Mangueira até o fim. Com a definição apenas no último quesito, alegorias e adereços, a verde-e-rosa acabou levando a melhor, chegando aos 269,8 pontos. 

Campeã, em 2015, a Beija-Flor não conseguiu repetir o desempenho do último ano, mas garantiu a permanência na elite do carnaval carioca ao terminar na quinta colocação, seguida pela Imperatriz Leopoldinense.

 

No próximo sábado, Mangueira, Unidos da Tijuca, Portela, Salgueiro, Beija-Flor e Imperatriz retornam à avenida para o Desfile das Campeãs, que reúne as seis melhores escolas da edição. Já a Estácio de Sá, que terminou na última posição, foi rebaixada e terá que disputar a Séria A no ano que vem

Leia mais: http://br.sputniknews.com/brasil/20160210/3540466/Mangueira-grande-campea-Carnaval-2016.html#ixzz3zoWaK19K

 

sputniknews.com/Foto: Manuela Scarpa e Rafel Cusato/Brazil News

Campanha da Fraternidade alerta para

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Nacional

a necessidade de saneamento básico no Brasil

imagem117“O acesso à água potável e ao esgotamento sanitário é condição necessária para a superação da injustiça social e para a erradicação da pobreza e da fome, para a superação dosaltos índices de mortalidade infantil e de doenças evitáveis e para a sustentabilidade ambiental”. Com essa mensagem, o papa Francisco convida as pessoas a se mobilizarem, a partir de suas comunidades, para promoção da justiça e do direito ao saneamento básico, na Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016.

Lançada hoje (10) pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e pelo Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (Conic), a campanha vai alertar sobre o direito de todas aspessoas ao saneamento básico e debater políticas públicas e ações que garantam a integridade e o futuro do meio ambiente. Com o tema “Casa comum, nossa responsabilidade” e o lema “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca”, a campanha também vai tratar do desenvolvimento, da saúde integral e da qualidade de vida aos cidadãos.

O presidente do Conic, dom Flávio Irala, disse que tratar do tema é fundamental porque ele nem sempre tem visibilidade nas propostas públicas e nos movimentos sociais. “Nos preocupamos com o fato de que mais da metade da população permaneçam sem acesso à rede de coleta de esgoto e que apenas 40% dos esgotos sejam tratados. Nenhuma pessoa deve ser privada do acesso aos benefícios do saneamento básico em função da sua condição socioeconômica. O acesso ao saneamento promove a inclusão social e a garantia dos principais instrumentos de proteção da qualidade dos recursos hídricos e dos inibidores de doenças, como cólera, febre amarela, chikungunya, dengue, diarreia, bem como para evitar a proliferação do vírus Zika”, disse.

Dados divulgados pelo Conic mostram que, mesmo estando entre as maiores economias do mundo, o Brasil tem mais de 100 milhões de pessoas sem saneamento básico.

O ministro das Cidades, Gilberto Kassab, também esteve na CNBB e disse que o governo federal fará sua parte para dar todo apoio nessa campanha. “É fundamental que possamos continuar investindo cada vez mais, para quetenhamos condições de combater epidemias, que possamos levar qualidade de vida e dignidade às pessoas”, afirmou.

Realizada no Brasil desde 1963, esta é a quarta vez que a Campanha da Fraternidade é lançada pela CNBB junto com o Conic – as outras ocorreram em 2000, 2005 e 2010. Este ano, a campanha ecumênica conta também com o apoio da Misereor, entidade da Igreja Católica na Alemanha que trabalha na cooperação para o desenvolvimento de países da Ásia, da África e da América Latina.

Dentro da programação da campanha, no próximo dia 15 haverá uma audiência pública no Congresso Nacional sobre o tema.

(Agência Brasil)