Temer concede Ordem Nacional do Mérito à professora que morreu para salvar seus alunos

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Nacional

professoraMGO presidente Michel Temer concedeu a Ordem Nacional do Mérito à professora Heley Abreu Batista, de 43 anos, que ajudou no resgate das crianças que sobreviveram ao ataque a uma creche de Janaúba (MG) semana passada. A honraria será concedida em homenagem ao ato de heroísmo da professora, que não sobreviveu às queimaduras e morreu ao tentar salvar os alunos. 

Em nota, a Presidência da República informou que a honraria é concedida a pessoas que deram exemplos de dedicação ao país. "Este é o caso da professora Heley Batista, que sacrificou sua própria vida para salvar a vida de seus alunos, em um gesto de coragem e de heroísmo que emocionou a todos", diz a nota.

Até o momento, foram registradas dez mortes, oito delas crianças. Também morreram a professora Heley e o vigia que ateou fogo no local.

Ainda há 25 vítimas internadas em hospitais de Janaúba, Montes Claros e Belo Horizonte.

Agencia Brasil

DSTs, como sífilis e Aids, avançam entre os jovens brasilienses

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Nacional

"Quando a relação está estabilizada há mais tempo, isso se perde. Com os jovens, é ainda mais arriscado", diz Mário Ângelo Silva, coordenador do Polo de Prevenção das DSTs da Universidade de Brasília (UnB)

20171008215810225222uAs autoridades sanitárias perderam um grande aliado na prevenção das doenças sexualmente transmissíveis (DSTs): o medo. Por não causarem pânico, a população mais jovem banalizou esses males e abriu mão de se proteger. O preservativo, item de primeira necessidade outrora, caiu em desuso. Os efeitos começam a aparecer. Em cinco anos, a Secretaria de Saúde registrou 29 mil novos casos de alguma DST. O alerta é para o perfil dos infectados: jovens entre 20 e 29 anos.

A perpetuação e o aumento dessas doenças preocupa especialistas. Entre 2010 e 2015 — levantamento mais recente da Secretaria de Saúde —, 3.010 novas infecções de Aids foram notificadas, 4.290 de sífilis, 6.550 de condiloma (verruga genital) e 3.063, de úlcera genital (leia Raio-X). Esses males estão cada vez mais inseridos na capital federal. Não há distinção de classe social, escolaridade ou raça, como evidenciam as estatísticas.
Apesar de o registro de casos ser confiável, há um hiato que deve ser levado em consideração. Uma parcela de doentes sequer sabe que tem uma DST. “Esse aspecto faz com que a contaminação seja em progressão geométrica, ou seja, a pessoa infectada que não sabe de seu diagnóstico transmite o vírus ou a bactéria para outras, que também ficam no ostracismo”, conclui o coordenador do Polo de Prevenção das DSTs da Universidade de Brasília (UnB), Mário Ângelo Silva.
Ele chama a atenção para outro aspecto: o da confiança. “No começo dos relacionamentos, o uso do preservativo é natural. Mas, quando a relação está estabilizada há mais tempo, isso se perde. Com os jovens, é ainda mais arriscado por eles estarem numa fase de descobertas, nas quais a vida sexual é mais ativa. Transam mais e com um número maior de pessoas”, destaca o especialista.

Prudência

O comportamento da sociedade mudou, com isso, a linguagem das políticas públicas ficou defasada. É o que pensa o sociólogo Roberto Geraldo da Silva, presidente da Associação Esperança e Vida, organização que trata e abriga pacientes com Aids. “A questão envolve aspectos amorosos, sociais, religiosos e culturais. O uso do preservativo está baixo por isso. Hoje em dia, não adianta dizer: ‘Use camisinha’. E acreditar que todo mundo vai aderir”, lamenta.
Roberto explica que a saída é a informação. “É preciso trabalhar a educação sexual nas escolas com mais efetividade. Temos de falar da valorização da vida, dos resultados da camisinha, das doenças e mostrar o dano que elas causam. O uso de preservativo deve ser encarado como o do cinto de segurança e o consumo de água potável”, alerta.
Valéria Paes, consultora da Sociedade Brasileira de Infectologia, explica que a população mais jovem não vivenciou terrores do passado, como mortes por complicações da Aids, e, por isso, tem menos prudência. “Isso enfraquece o apelo pelo uso do preservativo. Os jovens estão se arriscando mais. Por isso, é necessária a modernização na abordagem”, avalia. Ela emenda: “Precisamos disseminar as informações. As pessoas não falam de DSTs como de outras doenças”.

Juventude pouco preocupada

Apesar do grande volume de informações sobre as DSTs, a parcela mais jovem da população não se atenta à prevenção. Seja por não conhecer alguém doente, seja por não acreditar que isso possa acontecer consigo, a camisinha fica em segundo plano. Durante dois dias, o Correio fez uma enquete com 12 estudantes sobre aspectos relacionados às DSTs. Do total, oito disseram não se preocupar com o assunto quando vão ter relações sexuais.
Na porta de escola de classe média alta, na Asa Sul, alguns adolescentes saem acompanhados dos namorados. Quando perguntados sobre o uso da camisinha, admitem: o tema foi mais frequente. “No começo do namoro, sempre usávamos, mas, agora, não”, conta uma jovem de 17 anos*, na companhia do parceiro de mesma idade.
Aqueles que cultivam muitos parceiros se dizem mais temerosos. “Se eu não conheço a pessoa, não tem jeito: sexo, só com camisinha. Agora, se eu fiquei com a menina, ou sei da vida dela, fico mais tranquilo”, explica um garoto de 17 anos. Ele diz ter perdido a virgindade aos 15, e o pai, um servidor público, o alertou sobre o uso do preservativo. “Várias vezes conversamos sobre isso. Sinto que o meu pai tem mais medo do que eu.”
Uma das poucas entrevistadas que repudiou o sexo sem camisinha é outra jovem de 17 anos. Ela namora há um ano e meio e garante nunca ter transado sem proteção. “Esse é o meu único namorado e, com ele, perdi a virgindade. Mesmo se não fosse assim, não teria relações sem preservativo. Não é por medo dele, mas por nossa segurança. Conheço a família dele e ele desde a infância, mas isso não quer dizer nada”, afirma.
*A reportagem não publicará a identidade dos entrevistados em respeito ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)
 
 
Fonte: Braziliense

Dia da Consciência Negra pode se torna feriado

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Nacional

valmir dia da consciencia negraO projeto de lei do deputado federal Valmir Assunção (PT-BA), que transforma o Dia Nacional da Consciência Negra (20 de novembro) em feriado no Brasil teve parecer favorável aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara na última quinta-feira (5). A relatoria foi do parlamentar Chico Alencar (Psol-RJ) e a peça agora segue para apreciação no plenário. "É importante que a resistência da população negra diante da subalternização que lhe é imposta desde a época da escravidão, guarde um simbolismo que represente a atuação desse segmento de maneira ativa no processo de libertação e luta pelos seus direitos violados", justifica Valmir sobre o projeto aprovado. 

A data de 20 de novembro, é também o dia em que se lembra da morte do herói nacional Zumbi dos Palmares. Para Assunção, a aprovação da peça em plenário – próximo passo para se aprovar em definitivo a lei, "guarda em si a perspectiva do enfrentamento e da postura crítica ao discurso que projeta no imaginário a ideia da concessão branca em relação às conquistas historicamente empreendidas pelas negras e negros".

Ao refazer os passos do projeto, Valmir cita que a peça foi aprovada ainda na Comissão de Cultura (CCULT) com a relatoria da deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) em 2015. A deputada Jandira fez somente uma alteração técnica. Para efeito de técnica legislativa, haja vista estar vigente a Lei nº 662, de 6 de abril de 1949, que dispõe sobre os feriados nacionais, foi considerado mais adequada a alteração da redação do art. 1º da referida Lei para incluir o dia 20 de novembro como um dos feriados nacionais elencados no artigo. 

"Dada a centralidade de tal significado, o estabelecimento de feriado nacional para o reconhecimento da contribuição da população negra no Brasil é medida que há muito deveria ser considerada. Designar o dia 20 de novembro como feriado significa, nesses termos, fazer integrar o plano simbólico do Brasil a herança histórica de tradição e resistência de metade de sua população, que ainda se vê apartada em todos os aspectos da vida social", completa Assunção.

Ascom Dep. Valmir Assunção

Camarote da festa Odonto Fantasy, em Aracaju, desabou na hora que Ivete se apresentava

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Nacional

iventeSusto durante o show da cantora Ivete Sangalo, na madrugada deste domingo. Parte da estrutura de um camarote da festa Odonto Fantasy desabou por volta das 1h10, no Sítio Terêncio, na Rodovia dos Náufragos, em Aracaju. A cantora baiana se apresentava quando um buraco foi aberto em meio à estrutura do espaço. Informações preliminares dão conta de que não houve feridos graves.  

A Central de Regulação de Urgências (CRU) de Aracaju informou um número total de 60 envolvidos. No entanto, quando os médicos chegarem ao local identificaram várias vítimas sem ferimentos. Apenas 13 foram removidas, sendo nove para a emergência do Hospital São Lucas, na capital sergipana.

A cantora e apresentadora do The voice Brasil que está com 45 anos confirmou, no último dia 12 de setembro, a gravidez de gêmeos. A suspeita sobre a gestação da artista ocupava o debate entre os fãs há várias dias, quando sites de notícias asseguravam a informação. A assessoria dela evitou comentar o assunto durante a semana até a confirmação da própria artista.

A notícia da gravidez foi anunciada oficialmente pela própria Ivete através do Instagram. Na postagem, ela declara: "Não sei por que essa calça não fecha? hahah.. Eu e meu amor Daniel Cady e nosso amado filho estamos muito felizes com essa linda notícia. A todos que torcem por essa cantorinha, o meu doce beijo de amor e alegria. Mamãe-puro-suingue".

Ivete Sangalo é mãe de Marcelo, de sete anos, fruto do relacionamento com Daniel. A cantora já havia perdido um filho, em 2008, em decorrência de uma rara complicação da gravidez chamada hiperêmese gravídica, cuja incidência é de uma a cada 150 mil gestantes.

Diário Pernambuco Foto: Redes Sociais

Morre em Salvador a viuva de ACM

Escrito por Luiz Washington . Publicado em Nacional

arleteacmViúva do ex-senador e governador da Bahia Antônio Carlos Magalhães e avó do prefeito da capital baiana ACM Neto, dona Arlette Maron Magalhães morreu na manhã deste sábado (7), aos 86 anos, em Salvador.

Erlette Magalhães já atuou como presidente das Voluntárias Sociais da Bahia e durante toda a vida participou de diversas ações sociais. Em Salvador, ela foi presidente do Instituto Antônio Carlos Magalhães (ACM) desde a inauguração, em 2010.

Dona Arlette nasceu em Itabuna, no sul da Bahia, e teve quatro filhos, oito netos e 13 bisnetos em um casamento que durou 55 anos. O sepultamento da ex-primeira dama do estado será realizado no Cemitério Campo Santo, em Salvador, às 17h. Por meio de nota, o prefeito de Salvador ACM Neto falou sobre o luto familiar. "É um momento de dor para toda a família e para aqueles que conviviam com dona Arlette. Perdi uma avó dedicada, uma amiga e grande conselheira", lamentou.

Por meio das redes sociais, o governador da Bahia Rui Costa prestou solidariedade. "Meus sentimentos aos familiares e amigos da ex-primeira-dama do Estado. Que Deus conforte todos nesse momento de dor".la sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e estava internada no Hospital Cárdio Pulmonar, na Federação, desde a quarta-feira (4). Primeira dama do estado por três vezes, dona A

Correio da Bahia